Developing countries is the name used by experts to refer the countries crushed by the development of other countries

Eduardo Galeano

You are here

EH Lagunak (pt)

[Vídeo] Arde a monarquia: acção conjunta contra a continuidade do regime

ASEH-Lisboa - Fri, 06/27/2014 - 23:33
Com esta acção conjunta, a juventude rebelde que não é nem quer ser espanhola dá as boas-vindas ao novo monarca.Na primeira semana de reinado de Felipe VI, a juventude dos vários povos sob jurisdição do Estado espanhol fez questão de lhe dar as boas-vindas… expressando o seu mais profundo repúdio. Transformaram em cinzas imagens do novo monarca, bem como de Juan Carlos I e daquele que os pôs no trono, o ditador Francisco Franco.

Com esta acção, quiseram denunciar a continuidade do franquismo no actual sistema e exigir uma ruptura com o Regime de 78 através de processos constituintes em cada povo.

Para a juventude de Aragão, Andaluzia, Euskal Herria, Galiza, Países Catalães e Castela, a monarquia é não apenas uma figura anacrónica, mas um dos principais símbolos do patriarcado, da opressão de classe e nacional; para além de representar os verdadeiros valores do espanholismo: corrupção impune e opulência face à miséria.

Desta forma, quiseram mostrar que não reverenciam nenhuma monarquia e que lutam pela sua abolição logo desde o seu início, sendo o seu pior pesadelo. Irão lutar pelo fim do seu reino, construído com base na repressão e na tortura, silenciando assim violentamente o direito a decidir e a vontade do povo. Lutarão pela libertação social, nacional e de género. / Ver: boltxe.info

Anita Leocadia Prestes: «Algumas considerações sobre as posições revisionistas (oportunistas) do Marxismo no Brasil de hoje»

ASEH-Lisboa - Fri, 06/27/2014 - 23:32
Diante da actuação oportunista (revisionista do marxismo), dirigida no sentido de reformar o capitalismo em vez de liquidá-lo, diante da falsificação da história das lutas e da memória das lideranças revolucionárias do passado com o objectivo de justificar tal política reformista, o legado de Luiz Carlos Prestes adquire indiscutível actualidade. (odiario.info)

«Uno no puede ver más allá de una elección que no entiende», de Borroka Garaia (BorrokaGaraiaDa)
Una de las amenazas mas serias que existen en un movimiento revolucionario es el peligro de defunción del pensamiento crítico ahogado en la justificación a posteriori. Tanto en el sentido del impulso dogmático como en la reacción extrema inversa.

Trikizio - «Jo Ta Ke»

ASEH-Lisboa - Fri, 06/27/2014 - 23:31
Tema do álbum EusCat (2008). A banda é de Zegama (Gipuzkoa).
Jo ta ke irabazi arte! Sem descanso até à vitória!

Trabalhadores da Saúde manifestam-se pelos direitos e prometem Outono quente

ASEH-Lisboa - Thu, 06/26/2014 - 23:34
Várias centenas de trabalhadores do Osakidetza [serviço público de saúde basco] manifestaram-se hoje em Bilbo contra a destruição de postos de trabalho, a defesa de aumentos salariais e dos direitos laborais, pelo início de conversações para negociar as suas reivindicações e pela defesa de uma Saúde «pública, universal e de qualidade».

À frente da mobilização, que foi convocada pelos principais sindicatos profissionais e de classe do sector - Satse, ELA, LAB, SME,CCOO, UGT, ESK e la Federación de Facultativos de Hospitales - e que percorreu a Gran Via bilbaína, seguia uma grande faixa subscrita por todos os sindicatos em que se lia «Kalitatezko Osakidetza baten alde. Enplegua sortu. No más robos» [Por um Osakidetza de qualidade, Criar emprego. Não aos roubos].

Entre as exigências feitas pelos sindicatos ao Osakidetza estão a abertura de um concurso para preencher 3000 vagas que existem actualmente; a redução da jornada laboral, que aumentou 67 horas em média desde o início da crise; o fim do congelamento das carreiras.

Os porta-vozes das centrais sindicais avisaram a administração do Osakidetza que, se não se convocar uma mesa sectorial para negociar as exigências dos trabalhadores, o «Outono será quente». Se não houver resposta às suas exigências, os trabalhadores irão estabelecer um calendário escalonado de mobilizações, que no Outono darão lugar a paralisações por turnos e a uma de 48 horas.

Para Novembro, irão agendar uma série de paralisações crescentes, por um período de cinco semanas e que começarão com greves parciais de duas, quatro e de 24 horas e terminarão com uma greve de 48 horas. / Mais informação: naiz.info e Berria

Avenida cortada em Deustu para apoiar os grevistas Jon Telletxea e Urtzi Martinez

ASEH-Lisboa - Thu, 06/26/2014 - 23:33
Dezenas de pessoas cortaram durante 20 minutos a Avenida Lehendakari Agirre, no bairro bilbaíno de Deustu, para apoiar os grevistas Jon Telletxea e Urtzi Martinez e denunciar a pena a que foram condenados.

A acção começou por volta das 18h30 e prolongou-se durante 20 minutos, sem que se tenham registado incidentes. De acordo com o portal uriola.info, ouviram-se palavras de ordem como «grebalariak aske» [grevistas livres], «grebalariak aurrera» [força, grevistas] e «Urtzi, Telle, herria zuekin» [Urtzi, Telle, o povo está convosco].

Inicialmente, foram ambos condenados a quinze meses de cadeia, acusados de provocar desordem pública no decorrer da greve geral. A pena subiu para dois anos e meio (o que já implica cumprimento efectivo), depois de o Ministério Público ter recorrido.

Grebalariak aske! [Uriola]Ver: uriola.info e naiz.info

Concentração frente ao Parlamento de Gasteiz pela libertação de Ibon

ASEH-Lisboa - Thu, 06/26/2014 - 23:32
Ontem à tarde, cerca de 60 pessoas participaram numa concentração frente ao Parlamento de Lakua, convocada pela plataforma Iparra Galdu Baik, para exigir às autoridades que Ibon Iparragirre e os restantes presos políticos bascos com doenças graves e incuráveis sejam libertados. Para tal, basta aplicar a legislação vigente.

No decorrer da mobilização, o deputado do EH Bildu Julen Arzuaga reuniu-se com os manifestantes, que gritaram palavras de ordem a favor de Ibon - que se encontra na solitária de Navalcarnero apesar de ter uma doença grave -, pela libertação dos presos doentes e contra a dispersão.

Lá dentro, EH Bildu e PNV votaram a favor de uma proposta em que se exige ao Governo espanhol a «a libertação imediata» de Ibon Iparragirre e dos restantes presos com doenças graves e incuráveis. O PSE absteve-se e o PP votou contra. / Ver: Turrune!, lea-artibai.hitza e naiz.info

Moção aprovada em Ondarroa
Foi hoje aprovada, em sessão de Câmara, uma moção em que se exige a libertação de Ibon Iparragirre, natural da localidade costeira biscainha. A moção contou com os votos a favor dos nove vereadores do Bildu. Os quatro do PNV abstiveram-se. / Ver: naiz.info

O humor e crítica corrosiva enchem as pancartas de San Fermin

ASEH-Lisboa - Thu, 06/26/2014 - 23:31
A Federação de Peñas deu hoje a conhecer as pancartas que, durante as festas de San Fermin, irão percorrer as ruas da capital de Euskal Herria. Como é hábito, não faltam o humor, a denúncia e a crítica. Yolanda Barcina e o vereador Ignacio Polo foram os principais visados.
O desfile com as faixas terá lugar no próximo sábado, 29, mas os desenhos satíricos, humorísticos e reivindicativos, que se centram no que maior importância assumiu em Nafarroa ao longo do ano, já foram revelados pela Iruñeko Peñen Federazioa. A acção do Governo da UPN, Barcina e a sua vice-presidente Goikoechea são alvo de crítica, e o vereador Polo é alvo de mofa por ter sido caçado a conduzir bêbado.

A crise institucional do PSN, com Jiménez a aparecer como marioneta de Rubalcaba, a denúncia das agressões sexistas, a gestão governativa do autarca de Iruñea, a censura à placa de Anjel Berrueta e a gestão da Polícia Municipal são outros temas que assumem destaque. Também não foram esquecidos a entrega de cartões de estacionamento aos vereadores, os escândalos da família real espanhola ou o da a Guarda Civil a exibir armamento numa escola.

Os barbudos arrantzales e a ikurriña decoram muitas das vinhetas apresentadas, nas quais também se critica as consequências da crise capitalista, e se recorda o aniversário do Euskal Jai e a censura nas redes sociais. Muitas das peñas não se esquecem de reivindicar o repatriamento das e dos presos políticos bascos. / Ver: ahotsa.info e naiz.info / Fotos: Iruñeko peñen pankartak (ahotsa.info e Berria)

Caloroso «ongi etorri» a Diego Octavio Martikorena

ASEH-Lisboa - Wed, 06/25/2014 - 23:34
O preso político foi calorosamente recebido no bairro pamplonês de Iturrama, depois de ter passado mais de dois anos na cadeia de Dueñas (Palência) [no naiz. info diz-se que cumpriu uma pena de quatro anos e meio de prisão, depois de ter sido acusado de acções de kale borroka].Martikorena aguarda agora por julgamento por alegada pertença à Segi. / Ver: ahotsa.info

CONCENTRAÇÃO EM IRUÑEA PELOS DIREITOS DOS PRESOS
Como é habitual às segundas-feiras, no dia 23 realizou-se uma concentração frente à sede do PP na capital navarra para reivindicar o direito dos presos políticos bascos a viverem livres em Euskal herria.

Estiveram presentes 54 pessoas; nas faixas que exibiram lia-se: «Euskal Preso eta Iheslariak Herrira», «La dispersión mata» e «Epaiketa politikorik ez / No a los juicios políticos». / Ver: lahaine.org

SAGARMINAGA LIBERTADA NAS PRÓXIMAS HORAS
A bilbaína Aitziber Sagarminaga foi detida a 9 de Janeiro pela Guarda Civil, juntamente com vários advogados, no âmbito da operação lançada contra os interlocutores do Colectivo de Presos Políticos Bascos (EPPK).

Foi-lhe imposta uma fiança de 25 000 euros para poder sair da cadeia em liberdade condicional. Sagarminaga, que está grávida e deve dar luz em breve, sairá nas próximas horas da cadeia de Soto del Real (Madrid), pois os seus familiares já pagaram a fiança. / Ver: Berria
 
REINO UNIDO ENTREGA FERMO AOS ESPANHÓIS
Na sexta-feira, 20, polícias espanhóis da Divisão de Cooperação Internacional trouxeram Fermin Vila Mitxelena, Fermo (Irun, Gipuzkoa), do Reino Unido para Madrid, e entregaram-no à Audiência Nacional espanhola, que reclamava a sua extradição.

Vila, de 44 anos, foi detido em Junho de 2010 em Belfast (Norte da Irlanda), onde trabalhava como cozinheiro. Nos últimos meses, realizaram-se várias mobilizações em Irun contra a sua extradição. / Ver: oarsobidasoa.hitza

Concentração de apoio aos grevistas Urtzi e Telle em Iruñea

ASEH-Lisboa - Wed, 06/25/2014 - 23:33
Foi convocada para esta sexta-feira, dia 27, às 20h30, na Praça Mercaderes, em Iruñea, uma concentração solidária com os bilbaínos Urtzi Martinez e Jon Telletxea, condenados a dois anos e meio de cadeia por fazerem pintadas numa greve geral.

Recorde-se que estes jovens do bairro de Deustu foram detidos por lutarem por um outro modelo social e económico na greve geral de 29 de Março de 2012. Mais uma vez, o Estado quis atingir jovens envolvidos nas lutas sociais, procurando criminalizar e atacar as reivindicações populares.

«A nossa solidariedade chegará a todos os recantos do país, para lá das montagens policiais deles», afirmam os convocantes.

Urtzi ta Telle aske! Erasorik ez erantzunik gabe!
Urtzi e Telle livres! Não há ataque sem resposta!/ Ver: lahaine.org

Thierry Meyssan: «Yihadismo e industria petrolera»

ASEH-Lisboa - Wed, 06/25/2014 - 23:32
Junto al régimen de Israel, los mercenarios del EIIL ha iniciado en Irak la guerra del petróleo. Ha cortado el abastecimiento a Siria y vende el petróleo bajo bandera saudita (lahaine.org)



«Irak, las páginas borradas de la historia», Manlio DINUCCI (boltxe.info)
La invasión, este mes, de una parte de Irak por un ejército privado que la tercera guerra contra Irak. La continuación de una guerra iniciada en 1990 y que no ha terminado aún, a pesar de que las tropas de Estados Unidos se retiraron de Irak el 15 de diciembre de 2011.

«Iraque e o fracasso de Washington», editorial de La Jornada (odiario.info)
Este Editorial de La Jornada destaca justamente as responsabilidades dos EUA no desenvolvimento e agudização da tragédia do Iraque. Mas é contra o imperialismo em geral que a denúncia deve igualmente ser dirigida, desde a maior potência até ao mais acessório lacaio como é, por exemplo, o caso de Durão Barroso.

Leioako akelarre / Akelarre de Leioa

ASEH-Lisboa - Wed, 06/25/2014 - 23:31
Pequeno documentário sobre o «Akelarre de Leioa», em que «personagens da mitologia basca» celebram o solstício de Verão e o Donibane Sua (as fogueiras de São João). Em Leioa (Uribe Kosta, Bizkaia, EH), claro!

Leioako akelarrea (erdarazko azpitituloak) from KaLaBaZaN! on Vimeo.

Câmaras: Antxon Unzaga e Jone Ibarretxe / Edição: Irati Astobieta e Jone Ibarretxe.

Intervenção violenta da Ertzaintza no despejo de uma família em Algorta

ASEH-Lisboa - Tue, 06/24/2014 - 23:34
A Ertzaintza expulsou à força quem se opôs aos despejo, provocando vários feridos e detendo um homem de 29 anos, por desobediência.

Uma família com quatro pessoas que não conseguiu pagar uma dívida de 30 000 euros foi despejada, hoje de manhã, de sua casa, na Rua Aldapa, no bairro de Algorta (Getxo, Bizkaia). A Ertzaintza deu uma ajuda preciosa, intervindo de forma violenta.

Para tentar evitar o despejo, várias pessoas juntaram-se na casa e à porta do prédio. Cerca de 30 fecharam-se em casa, tendo disposto colchões e móveis de forma a dificultar a entrada. No entanto, a Ertzaintza apareceu de imediato, e, depois de deitar a porta abaixo, retirou e identificou toda a gente que estava lá dentro. Uma pessoa foi detida e várias ficaram feridas na sequência da intervenção, tendo de receber tratamento. A família também foi retirada da casa.

Um juiz entrou na casa vazia. Na rua, a tensão fazia-se sentir, com os manifestantes a gritarem contra a Ertzaintza e estes a ameaçarem carregar. A Polícia foi-se embora da casa pelas 13h00.

Segunda tentativa
No dia 13 de Maio, os de Aldapa enfrentaram uma situação semelhante. Na altura, cerca de 200 pessoas concentraram-se frente à casa, em resposta à convocatória da plataforma STOP Kaleratzeak [PAH], e conseguiram travar o processo de despejo.

Em face dos dados ontem revelados pela Deputação Foral da Bizkaia, de acordo com os quais a instituição tem sua posse 88 casas vazias, Aitor Torre, representante do EH Bildu nas Juntas que hoje esteve em Algorta, perguntou à Deputação se poria uma dessas casas à disposição da família afectada.

A porta-voz do EH Bildu Maribi Ugarteburu acusou o Governo de Lakua de recorrer a fundos públicos «para que a Ertzaintza apoie a despejar casas».

Um dos momentos do despejo [BerriaTB]Ver: Berria e ukberri.net / Fotos: Despejo violento em Algorta (Berria)

Ver também: «Selvajaria da polícia vascongada em Getxo para despejar uma família da sua casa» (lahaine.org)

Luis Britto García: «A guerra económica na Venezuela»

ASEH-Lisboa - Tue, 06/24/2014 - 23:33
A Guerra Económica é modalidade infalível em todos os conflitos. O único remédio contra ela é a resposta adequada dos agredidos. (resistir.info) [Em castelhano: lahaine.org]

«No compres apartheid», de Komite Internazionalistak (komiteinternazionalistak.org)
Los productos cosméticos israelíes de la marca Premier, que se venden en muchos lugares del Estado español y en puestos muy vistosos, son producidos en el Kibbutz Kalia, un asentamiento israelí en Cisjordania, al borde del mar muerto. Esta explotación se realiza en total violación del derecho internacional y de las resoluciones de las Naciones Unidas que reconocen la soberanía palestina sobre estos territorios.

«Perigoso e agressivo apodrecimento», de Filipe DINIZ (odiario.info)
A demissão do governo PSD/CDS é urgente. Mas não há que esquecer que na sua acção desastrosa - que junta à destruição económica e social a provocação institucional - é apenas uma peça de um sistema mundial que, no auge do seu poder, atinge igualmente o auge da sua degradação.

«Nova tentativa frustrada do CNI para "arranjar" confidentes», de Ceivar (Diário Liberdade)
Por enéssima vez nos últimos anos Vigo voltou ser a localidade na que o Ministerio del Interior espanhol, através do Centro Nacional de Inteligencia, encenou umha nova tentativa de compra de militantes para combertê-las em confidentes da estratégia repressiva contra o independentismo galego.

Debate: «Não ao fascismo! Solidariedade com os povos da Ucrânia!»

ASEH-Lisboa - Tue, 06/24/2014 - 23:32
Realiza-se esta sexta-feira, 27 de Junho, às 18h30, no Clube Estefânia, em Lisboa, o debate «Não ao fascismo! Solidariedade com os povos da Ucrânia!», organizado pelo Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC) e a União de Resistentes Anti-fascistas Portugueses (URAP).

O debate conta com a presença de Gustavo Carneiro (CPPC) e de José Pedro Soares (URAP).

Seguros de que a presença e participação de todos será um importante contributo para o sucesso da iniciativa, os organizadores agradecem a ajuda a de todos na sua divulgação.

O Euskal Herria Zuzenean é já este fim-de-semana

ASEH-Lisboa - Tue, 06/24/2014 - 23:31
A 19.ª edição do festival Euskal Herria Zuzenean volta a realizar-se em Lekorne (Lapurdi, EH) e é já este fim-de-semana (27, 28 e 29 de Junho).

O festibala está aí à porta e a receita mantém-se... Três dias de festa, cinco palcos, 60 espectáculos!

VÍDEO: Programa EHZ 2014

Toda a informação: ehz-festibala [euskaraz eta frantsezez]

Sindicatos da saúde unem-se na luta contra a política de cortes e de destruição de emprego

ASEH-Lisboa - Mon, 06/23/2014 - 23:34
Os sete sindicatos com representação no Osakidetza rejeitaram a política de cortes no serviço público de saúde aplicada nos últimos cinco anos e fizeram um apelo às pessoas para que se manifestem esta quinta-feira, 26, em Bilbo (Sagrado Coração, 18h00). No regresso das férias de Verão, a luta vai aquecer, com concentrações, enclausuramentos e paralisações, a partir de Novembro.

Agustín Gutiérrez, do Sindicato Médico (SME) e Edurne Agirre (LAB) disseram que, no Osakidetza, «foram eliminados 10 por cento dos postos de trabalho, que os trabalhadores fazem horas a mais e que, nestes cincos anos, sofreram uma redução de 20% nos salários reais». Assim, os representantes sindicais afirmaram que «não só perderam trabalhadores no sector, como isso se faz sentir directamente na qualidade dos serviços prestados ao cidadão, cada vez mais desprotegido».

Ambos afirmaram que há vinte dias solicitaram ao Osakidetza que se juntasse à Mesa Sectorial e apresentasse um Plano de Emprego «para começar a negociar», mas que tiveram o silêncio como resposta.

Deram como exemplo da falta de pessoal o caso denunciado pelas enfermeiras do Hospital de Txagorritxu este fim-de-semana; a representante do LAB recordou que aos problemas de Txagorritxu se juntam os do encerramento da lavandaria de Santiago, entre outros. «Está-se a destruir emprego de forma sistemática», acrescentou. / Ver: naiz.info e Berria

[Vídeo] Homenagem em Larrabetzu aos milicianos asturianos mortos em combate

ASEH-Lisboa - Mon, 06/23/2014 - 23:33
A associação Ahaztuak 1936-1977 realizou este sábado, 21, uma homenagem aos milicianos antifascistas asturianos que deixaram a vida na frente de Larrabetzu (Bizkaia) em Julho de 1937.

Em Bolunburu, onde muitos deles caíram e foram enterrados, a sessão contou com a intervenção de Martxelo Álvarez, da Ahaztuak, de Bruno Carvalho, militante internacionalista português, e de um militante vindo das Astúrias.

Antes de os presentes cantarem o «Eusko Gudariak» e «A Internacional», ponto final do acto de homenagem no local, realizou-se uma oferenda floral junto ao monumento ali existente.Mais fotos: larrabetzutik.org

Autarcas de Lasarte-Oria e Hernani pedem a libertação de Fernandez Iradi e Arruarte

ASEH-Lisboa - Mon, 06/23/2014 - 23:32
Pablo Berrio, autarca de Lasarte-Oria, e Luis Intxauspe, autarca de Hernani, deram hoje uma conferência de imprensa em Donostia, na qual expressaram a sua preocupação com a grave situação de saúde dos presos Ibon Fernandez Iradi e Garikoitz Arruarte, e pediram aos governos espanhol e francês que «apliquem a legislação em vigor» e procedam à libertação dos presos que têm doenças graves e incuráveis.

Ibon Fernandez Iradi tem esclerose múltipla e encontra-se na cadeia de Lannemezan. Na sexta-feira passada, o Tribunal de Aplicação de Penas de Paris decidiu suspender a sua pena, mas fê-lo impondo condições difíceis; Garikoitz Arruarte tem uma doença degenerativa e encontra-se na cadeia de Almeria.

Berrio e Intxauspe fizeram um apelo a todas as forças políticas para que se unam «na busca de pontos comuns pela superação do conflito». Consideraram uma prioridade o respeito pelos direitos humanos de todos, e afirmaram que farão «tudo o que for possível» para tirar os dois presos da cadeia.

Amanhã, haverá uma concentração em Hernani, na Gudarien plaza, às 19h30. Em Lasarte-Oria, ontem realizou-se uma concentração para pedir a libertação de Fernandez Iradi e no dia 29 haverá outra, na Okendo plaza, às 20h00. / Ver: Berria e naiz.info

Começa um novo processo de extradição contra Antton Troitiño em Londres

ASEH-Lisboa - Mon, 06/23/2014 - 23:31
Decorreu hoje no Tribunal de Westminster a primeira sessão de um novo processo de extradição contra Antton Troitiño, na sequência de um novo processo movido contra o donostiarra pela Audiência Nacional espanhola.

No decorrer da audiência, o Ministério Público pediu que Troitiño fosse entregue ao Estado espanhol, enquanto o advogado de defesa, Mark Summers, refutou a extradição. Para o advogado, a juíza deveria concluir que «estes procedimentos são abusivos», na medida em que «não existem perspectivas razoáveis» que de que Troitiño seja condenado no Estado espanhol.

O donostiarra, que se encontrava em liberdade condicional, foi detido a 13 de Fevereiro em Londres pela Polícia Metropolitana, quando se dirigia para a esquadra, onde tinha de comparecer todos os dias. A ordem de detenção partiu da Audiência Nacional espanhola. Depois de ser presente a tribunal, Troitiño ficou em liberdade condicional a aguardar pela audiência.

A caverna do regime
Depois de ter passado 24 anos na cadeia, Troitiño foi libertado a 13 de Abril de 2011. A partir desse momento, foi alvo de uma intensa campanha política e mediática que tinha como objectivo colocá-lo de novo na cadeia. Apenas uma semana volvida, no dia 20, o mesmo tribunal que tinha ordenado a sua libertação, a AN espanhola, decretou uma ordem de busca e captura. Nessa altura, já Troitiño se encontrava em parte incerta.

Foi detido a 26 de Junho de 2012, juntamente com Iñaki Lerin, num bairro londrino, e recebeu ordem de prisão. Mesmo depois da sentença do Tribunal de Estrasburgo contra a doutrina 197/2006, o Governo espanhol manteve o pedido de extradição. / Ver: naiz.info

Começa em Setembro um novo julgamento político de 28 jovens independentistas

ASEH-Lisboa - Sun, 06/22/2014 - 23:33
Numa conferência de imprensa que ontem deram em Iruñea, os 28 jovens independentistas que começam a ser julgados em Setembro questionaram a viabilidade do processo judicial e solicitaram o seu arquivamento, tendo em conta que as acusações e «provas» lançadas contra eles são semelhantes [«berdin-berdinak»] às que foram vertidas contra os 40 jovens absolvidos há alguns dias.

Os jovens acrescentaram que o julgamento irá durar quatro meses, sublinhando que isso acarretará consequências económicas de monta (a nível laboral, dos estudos, etc.). A isso, há que juntar os 795 000 euros que já pagaram em fianças, depois de terem passado mais de um ano na cadeia.
Em seu entender, este julgamento apenas servirá para incrementar a repressão; em todo o caso, isso não os irá impedir de continuar a trabalhar pela construção de Euskal Herria.

A maioria destes jovens foi presa entre Outubro e Novembro de 2010, e todos afirmaram ter sido torturados. Oito conseguiram escapar para Ipar Euskal Herria [País Basco Norte], e, depois de estarem alguns meses foragidos, apareceram em Izpura (Nafarroa Beherea), participando numa acção de enclausuramento contra o mandado europeu.
Os jovens foram bastante apoiados no Norte do país - até por eleitos de áreas políticas não tão próximas -, mas acabaram por ser detidos pela Polícia francesa, em várias levas, mais e menos à bruta.

O julgamento começa no dia 22 de Setembro na Audiência Nacional espanhola e os jovens são acusados de pertencer à organização juvenil Segi.

Reportagem sobre os 8 jovens que escaparam [Argia]Reportagem sobre os oito jovens independentistas que escaparam à Polícia espanhola e que se enclausuraram em Izpura (Nafarroa Beherea). [Com legendas.] / Ver: topatu.info

Pages

Subscribe to Askapena aggregator - EH Lagunak (pt)