Las revoluciones se producen en los callejones sin salida

Se encuentra usted aquí

EH Lagunak (pt)

Morte em Tutera é a 24.ª em acidentes laborais este ano em EH

ASEH-Lisboa - OG, 08/14/2014 - 23:35
Faleceu na terça-feira, dia 12, em Tutera (Nafarroa), o trabalhador L. F. A. J, de 45 anos. Caiu de uma altura de oito metros quando se preparava para realizar um trabalho no telhado de uma empresa para a qual tinha sido subcontratado. O sindicato LAB denunciou a situação.

Para o sindicato abertzale, que realça o facto de esta morte ser 24.ª em acidentes de trabalho em Euskal Herria (a quinta em Nafarroa) desde o começo do ano, este tipo de acidentes é «intolerável», na medida em que os factores que levam à sua ocorrência se repetem: más condições de trabalho, precariedade, subcontratação em cadeia, trabalho temporário, etc. - e isto é mais evidente quando nas obras o acordo sectorial não é, por sistema, aplicado.

«Este ou qualquer acidente laboral não são acontecimentos isolados», mas sim «o reflexo de um modelo de produção no qual a saúde e a vida dos trabalhadores passam para segundo plano face à economia», afirma o sindicato. «Só a mobilização e a luta» poderão conduzir a uma «mudança de rumo, de modelo», em que a saúde e a vida dos trabalhadores sejam «elementos principais», defende o LAB. / Ver: LAB 1 e 2

Lur Gil: «El fascismo no fue debidamente enterrado en Europa»

ASEH-Lisboa - OG, 08/14/2014 - 23:34
Hoy también, varias generaciones después, la cara más rancia del fascismo está más presente que nunca, así como en Gaza, en el este de Europa. Y por la mera supervivencia de los pueblos trabajadores y oprimidos, es necesario luchar y vencer a este germen maligno, sea donde sea y de la manera que sea. Para ello, debemos convertir el internacionalismo en práctica diaria, ese debe ser nuestro desafío. [Lur Gil é militante da Askapena] (lahaine.org)

«Botín de guerra, una historia repetida», de Iñaki EGAÑA (pakitoarriaran.org)
La sentencia de la Audiencia Nacional que incauta 111 sedes de la izquierda abertzale repite una práctica muy repetida en el sistema judicial español contra la disidencia política vasca. 1936, año evocado por los representantes y trabajadores de estas herrikos en su comparecencia del martes, es una fecha especialmente evidente, pero hay bastantes más, antes y también después.

«Fidel 88, mucho para festejar», de Carlos AZNÁREZ (Resumen Latinoamericano)
Comandante, iba a escribir otro artículo sobre tu digna existencia. En varias ocasiones he «emborronado cuartillas» a lo largo de mi militancia periodística y de la otra, de esa en la que muchos nos zambullimos con las armas en la mano en los 70, hasta dejar la piel en la embestida, al calor de tu grito de guerra allá en Sierra Maestra. Pero me di cuenta que las palabras y la admiración que te profesamos ya las había escrito hace tres años, cuando cumplías tus 85. Lo que te dije en aquel entonces está intacto en mi corazón y en el de quienes hoy te homenajeamos en todos los rincones del mundo donde los pueblos se siguen levantando, como en Palestina heroica, a la que tú le has dedicado una reflexión de urgencia. Por eso, repito el texto, sin tocar una coma, y te vuelvo a decir: seguimos en pie, Comandante, con tus ideas y tu coraje.

«4 minutos em Gaza» [vídeo]

ASEH-Lisboa - OG, 08/14/2014 - 23:33
Gaza, bombardeada pelas forças nazi-sionistas (20/7/2014). / Ver: pakitoarriaran.org [inclui o texto: «Palestina», de Luis Britto García]

Ver também, com vídeo: «Ontem, em Iruñea, nova concentração para denunciar o genocídio sionista» (ahotsa.info)

Dia 21, é libertado o preso Aimar Hidalgo Lertxundi, de Algorta

ASEH-Lisboa - OG, 08/14/2014 - 23:32
O preso político basco Aimar Hidalgo Lertxundi (Algorta, Getxo, Bizkaia) sai no dia 21 da cadeia de Herrera de la Mancha (Ciudad Real, Espanha), revelaram familiares seus. Este filho de Algorta esteve preso em três períodos diferentes por causa do mesmo processo: de 20 Outubro de 2004 a 19 de Julho de 2005 (pagou uma fiança de 6000 euros); durante uma semana em Março de 2007, sendo libertado depois de recorrer da sentença; e, por último, desde 14 de Dezembro de 2007, quando foi detido pela Ertzaintza para cumprir pena.

Hidalgo foi condenado em Março de 2007, juntamente com os também biscainhos Orkatz Gallastegi (Berango) e Gaizka Gañan (Santurtzi), a sete anos, seis meses e um dia de prisão, sendo acusado de ter incendiado um autocarro em Algorta a 11 de Agosto de 2000.

A associação Etxerat denunciou mais do que uma vez o facto de o algortarra ter cumprido 2/3 e 3/4 da pena, pelo que «já devia estar em liberdade condicional». / Ver: ukberri.net [Na foto: faixa nas festas de Algortako Portu Zaharra (Porto Velho de Algorta), agora a decorrer.]

Kojon Prieto y los Huajolotes - «Txibato»

ASEH-Lisboa - OG, 08/14/2014 - 23:31
Nafarricos, de Iruñea, tocaram muito nos anos 90. «¡Agárrense que llegan los reyes del Napar-Mex!»

Comparsa Kaixo censurada pela CM de Bilbo
Membros da Kaixo konpartsa fizeram saber que, no 12, ao fim da manhã, foram notificados pelos serviços municipais bilbaínos no sentido de alterarem, impreterivelmente, a parte da decoração da sua txosna em que se lia «All Cops are bastards».
À tarde, alguns membros da comparsa bilbaína pintaram sobre a inscrição um sinal de proibido juntamente com a palavra «zentsura». / Ver: uriola.info

Jovem detido em Basauri por acções solidárias com os presos e a Palestina

ASEH-Lisboa - AZ, 08/13/2014 - 23:34
A Ernai de Basauri (Bizkaia) emitiu uma nota na qual dá conta da detenção de um jovem da localidade, de 23 anos, ontem ao fim da tarde. Quando saía de casa, por volta das 18h30, viu-se cercado por oito polícias à paisana, que se identificaram como agentes da Polícia Nacional espanhola, o acusaram de provocar danos e o levaram para a esquadra. Hoje, foi presente a um juiz, que manteve a acusação e o deixou seguir em liberdade.

De acordo com a informação divulgada pela Ernai, a detenção está relacionada com uma acção levada a cabo, a 12 de Junho, pela organização juvenil em solidariedade com os presos políticos bascos, no âmbito da campanha «Denak ala inor ez» [ou todos ou ninguém], no decorrer da qual se escreveu o lema «PreS.O.S.» numa parede do quartel da Polícia espanhola em Basauri; também com uma acção levada a cabo a 14 de Julho no Carrefour local, para denunciar a agressão sionista à Palestina. / Ver: topatu.info

VÁRIOS IDENTIFICADOS EM ALTSASU POR ACÇÃO SOLIDÁRIA COM A PALESTINA
Ontem à tarde, 12, a Polícia Foral tentou entrar no gaztetxe de Altsasu (Nafarroa) para identificar quem lá estava. De acordo com a informação divulgada pelo portal hitzondo.net, os membros do gaztetxe estavam a preparar actividades para o próximo sábado, quando foram alertados por um elemento da Gazte Asanblada que a Polícia queria entrar no espaço. Os jovens decidiram manter-se lá dentro e impedir a entrada da Polícia, que lhes dizia que «tinha de investigar um delito».

Nas redes sociais, a situação começou a ser divulgada, e muita gente, incluindo vereadores, acorreu ao local para ver o que se passava. Quando pediram explicações aos polícias, estes responderam: «o salen los jovenes que están dentro para que los identifiquemos, o haremos lo que haga falta para entrar al Gaztetxe», referiram testemunhas.

Os jovens que se encontravam no interior do gaztetxe acabaram por sair, para evitar que a situação «se degradasse». Foram então identificados pelos agentes, enquanto estes eram mimados com a palavra de ordem «alde hemendik, utzi bakean» [vão-se embora, deixem-nos em paz].

O que a princípio não se entendia foi ficando claro: na base de tudo isto esteve uma acção levada a cabo pela Ernai no Eroski local, em solidariedade com a Palestina e de boicote aos produtos israelitas. No âmbito desta acção, vários jovens entraram no supermercado e lançaram sangue sobre produtos financiados por Israel. / Ver: topatu.info

A Kaskagorri faz 25 anos e tem programa especial nas festas de Bilbo

ASEH-Lisboa - AZ, 08/13/2014 - 23:33
A Kaskagorri, a konpartsa do movimento juvenil, faz 25 anos, e, tendo em conta tão notável feito, preparou um programa especial para a Aste Nagusia bilbaína, que será divulgado proximamente. De momento, já se conhece a canção do aniversário do quarto de século - «Izan Kaskagorri» - e sabe-se que, no dia 18, tem lugar o grande concerto «Izerdi Gorria - 25 urte, 25 gonbidatu».

Entre os 25 artistas convidados que, a partir das 19h30, irão participar na grande festa dos 25 anos da Kaskagorri, nas traseiras do Arriaga, contam-se poetas, mágicos, os bertsolaris Arkaitz Estiballes e Oihana Bartra, e muitos músicos, como Alex Sardui (Gatibu), Maria Rivero (Siroka), Ibon (Itziarren semeak), Naroa (Pentatonix folk), Fermin Muguruza, Ines Osinaga (Gose), Francis (Doctor Deseo), Zuriñe (Hesian), Igon (Mandoilek), Olatz (Izargi), Peio (Vendetta), Xabier Solano (Esne Beltza), Endika (121 krew), Eneko (Patrol destroyers). / Mais informação: uriola.info e BorrokaGaraiaDa

BOLTXE PRESENTE NA HERRI AZOKA
Como é hábito, a Boltxe estará presente na Herri Azoka [feira popular] organizada pela comparsa bilbaína Komantxe no decorrer da Aste Nagusia [Semana Grande das festas]. Nesta 4.ª edição, que decorre entre os dias 17 e 24, a feira estará aberta todas as tardes frente ao espaço da Komantxe.

Durante a Aste Nagusia, a Boltxeliburuak apresentará três novos títulos: Manifiesto comunista, de Marx e Engels; ¿Qué hacer?, de Lénine; Pensar y practicar colectivamente el marxismo, de Iñaki Gil de San Vicente.

«¡¡¡Os esperamos a todos y todas!!! / Besterik gabe, guztiak gurekin izango zaretelakoan, har ezazue gure agurrik bero eta gorriena!!!», dizem-nos, de forma tão diferente em castelhano e euskara, os nossos camaradas do Boltxe. / Ver: boltxe.info

James Petras: «O genocídio israelense e seus cúmplices prestativos»

ASEH-Lisboa - AZ, 08/13/2014 - 23:32
Exceptuando Israel e seus apoiantes organizados nas principais organizações sionistas, a opinião pública mundial e a maior parte dos peritos em direito internacional vêm a invasão de Gaza pelo Estado judeu, bem como o seu ataque sistemático a civis e infraestrutura básica, como um crime contra a humanidade. (resistir.info)

«La posición insurgente frente al tema de las víctimas», de Timoleón JIMÉNEZ (abpnoticias.org)
Timoleón Jiménez, comandante de las FARC-EP, habla de la posición insurgente frente al tema de las víctimas del conflicto, la relación con el ELN y la lucha gringa «antiterrorista» y, por supuesto, sobre el futuro del proceso de paz: «el tema de la dejación de armas y el cese bilateral del fuego no van a ser sencillos», dice.

«Tod@s somos necesari@s en la lucha por los derechos civiles y políticos», de Eneko VILLEGAS (ahotsa.info)
La revista digital de Atarrabia Kale-zale.tk ha entrevistado a Eneko Villegas, joven que será juzgado por su militancia política a partir del 20 de septiembre en la Audiencia Nacional junto a otr@s 27 jóvenes independentistas.

Homenagem do MGS a Moncho Reboiras [vídeo]

ASEH-Lisboa - AZ, 08/13/2014 - 23:31
No 39.º aniversário do assassinato. (Imo, 12/08/2014)Homenaxe do MGS a Moncho Reboiras no 39º cabodano. [GZ Vídeos]

Ver também: «Atos políticos reivindicárom o legado de Moncho Reboiras em Ferrol e Dodro» (Diário Liberdade)

Dia 18, concentração solidária com os grevistas bilbaínos

ASEH-Lisboa - AT, 08/12/2014 - 23:35
A plataforma Grebalariak aske! convocou uma concentração solidária os bilbaínos Jon Telleria e Urtzi Martínez para dia 18 de Agosto, às 18h30, frente à Câmara Municipal da capital biscainha, no âmbito da Aste Nagusia [Semana Grande das festas]. Esta é uma de muitas acções solidárias e organizadas para com o objectivo de divulgar a situação dos dois jovens, que estão há dois meses em risco de ser encarcerados, na sequência da sua participação na greve geral de 29 Março de 2012.

Julgados a 11 de Setembro de 2013, foram ambos condenados a 15 meses de cadeia, acusados de provocar desordens públicas no decorrer da jornada de luta referida. Contudo, a Procuradoria recorreu da decisão - «por agravante de disfarce» -, e a Audiência Provincial da Bizkaia agravou a pena, condenando-os a dois anos e meio de prisão (o que já implica cumprimento efectivo). / Ver: LAB Sindikatua e Manifesto da Grebalariak aske!

Bat kolpatzen badazue, guztiak kolpatzen gaituzue!
Quando atacam um de nós, atacam-nos a todos!

Três presos políticos bascos há meses «em trânsito» na cadeia de Marselha

ASEH-Lisboa - AT, 08/12/2014 - 23:34
Os presos guipuscoanos Ekaitz Sirvent (Zarautz), Asier Ezeiza (Hernani) e Zuhaitz Errasti (Eskoriatza) estão há meses «em trânsito» no cárcere de Marselha, à espera de ser transferidos para a cadeia de Tarascón, no Sudoeste do Estado francês, a 750 quilómetros de Euskal Herria.

A prisão de Marselha - conhecida como o «buraco negro» das cadeias francesas - é muito má, tanto ao nível da alimentação como de condições de vida; e, como não se trata do cárcere de destino dos três presos políticos bascos, a situação complica-se ainda mais, denuncia a Etxerat numa nota de imprensa: por um lado, foram todos metidos no sector dos jovens; por outro, a situação «em trânsito» impede-os de receber visitas com normalidade.

Entretanto, como a situação se arrasta - Asier Ezeiza está ali desde Maio, Zuhaitz Errasti desde Junho e Ekaitz Sirvent desde Julho -, os presos deram início a uma dinâmica de lutas. Por esse facto, já foram castigados com 14 dias na solitária; recentemente, foram punidos outra vez, pelo que vão passar os próximos 14 dias novamente no «mitard». / Ver: etxerat.info 1 e 2 [Presoak borrokan, gu ere bai!]

NAS PRAIAS, CONTRA A DISPERSÃO: PLENTZIA
Sakabanaketarekin amaitu! Euskal presoak etxera! [Erre Harria][Música de Gatibu.] No dia 3, a Etxerat promoveu um conjunto de mobilizações contra a dispersão dos presos políticos bascos em várias praias dos territórios da Bizkaia, de Gipuzkoa e de Lapurdi. Na praia de Plentzia (Bizkaia), mobilizaram-se cerca de 300 pessoas. / Mais informação: aseh

NÓS-UP: «Homenagem a Moncho Reboiras no XXXIX aniversário da sua queda em combate»

ASEH-Lisboa - AT, 08/12/2014 - 23:33
a Assembleia Comarcal de NÓS-Unidade Popular em Trasancos convoca para a próxima terça-feira, 12 de agosto, um ato político para reivindicar a figura e trajetória combatente de José Ramom Reboiras Noia, militante comunista e independentista galego, morto a tiros pola polícia espanhola em 1975. (lahaine.org)

«Honor y Gloria a Freddy Yépez», de Coordinadora Simón Bolívar (CSB)
Freddy Yépez fue un destacado militante de las filas revolucionarias, desde hace más de 6 décadas. Desde sus diversas trincheras, como maestro, profesor, escritor, articulista, guerrillero, soñador y amigo, sobre todo eso, amigo de todos, de los humildes, de los desposeídos, de los que luchan día a día por sobrevivir y por transformar la sociedad para alcanzar un estado de justicia donde todos seamos iguales.

A Ertzaintza retirou faixas do Comité Solidário EH-Donbass das festas de Gasteiz

ASEH-Lisboa - AT, 08/12/2014 - 23:32
Euskal Herria ★ Donbass Elkartasun Komitea
De acordo com a informação avançada por algumas testemunhas, faz saber o Comité Solidário com o Donbass em EH que o «Batalhão Azov da Ertzaintza» entrou no recinto das txosnas [barracas] nas festas de Gasteiz e retirou várias faixas solidárias com os antifascistas ucranianos ali colocadas.

Entre os lemas «censurados» estavam «Autodeterminazio eskubidearen alde» [pelo direito de autodeterminação], «No Pasarán», «Faxismoaren aurka, Herri langilea Zutik!» [contra o fascismo, a luta dos trabalhadores de pé] ou «Iraultzaren bidean, Herriok autodefentsa» [no caminho da Revolução, os povos pela autodefesa], entre outros.

O Comité EH-Donbass diz que não será silenciado e faz um apelo «a romper com o bloqueio mediático fascista». / Ver: SareAntifaxista / Ver: Euskal Herria-Donbass

Leitura: «Comunicado de los jóvenes antifascistas españoles que combaten en Ucrania al Ministerio de Exteriores de España» (insurgente.org)

4000 piratas e mais de 400 balsas no «assalto» a Donostia

ASEH-Lisboa - AT, 08/12/2014 - 23:31
Na segunda-feira, pela 12.ª vez, os Piratas fizeram a «abordagem» a Donostia. Como tem sido habitual nos últimos anos, a iniciativa contou com milhares de pessoas, que se juntaram na água e à volta dela.

De acordo com os Piratak donostiarras, juntaram-se nas águas cerca de 4000 pessoas, e outras tantas no porto e no Passeio da Kontxa, para ver quando e como terminava a aventura.

A festa prolongou-se depois pela noite fora, com um grande ambiente, no recinto de La Flamenka, com jantarada e concerto dos Berri Txarrak. / Ver, com muitas fotos: irutxulo.hitza.info e Donostiako Piratak / Vídeo: Abordatzea

Xabi Aranburu perde consulta depois de um ano de espera e apanha 20 dias de solitária

ASEH-Lisboa - AL, 08/11/2014 - 23:34
Xabier Aranburu, preso político basco natural de Ondarroa (Bizkaia), tem pedra na vesícula, o que lhe provoca dores fortes. Depois de um ano de espera, no dia 5 ia ser visto por um médico no Hospital de Lyon, para decidir se ia ser operado; mas nem sequer chegou a sair da cadeia.

Nesse dia, Aranburu preparou-se para a consulta, mas, refere a Etxerat, diversos funcionários do cárcere de Lyon-Corbas começaram a provocá-lo logo de manhã, acabando por retirá-lo da cela algemado e impedindo-o de ir a uma consulta importante. Conseguiram o que queriam, afirma a Etxerat.
Para cúmulo, na sexta-feira, 8, a comissão disciplinar acabou por castigar Aranburu com 20 dias na solitária.

Em Fleury, mais medidas de excepção contra os bascos
Até agora, os presos políticos bascos eram levados para uma sala, depois das visitas, para serem submetidos a uma inspecção corporal completa, afirma a Etxerat. Tinham de se despir, e a sua roupa era passada por um detector. Nus, os presos tinham de se movimentar, para mostrar que não tinham nada no corpo.

Há duas semanas, estas inspecções na cadeia parisiense tornaram-se ainda mais humilhantes, revela a Etxerat. São em três fases: o detector passa pelo preso ainda vestido; depois, o preso despe-se e o detector passa só pela roupa; por fim, o detector passa pelo corpo do próprio preso, nu.

No dia 8, o preso político Ibon Goieaskoetxea (Gernika, Bizkaia) foi confrontado com este novo estilo de inspecção e recusou-a, por considerar que, passado o detector uma vez, a inspecção estava feita. Foi então que os funcionários lhe disseram que a nova legislação determinava que os presos políticos bascos fossem inspeccionados assim, em três fases. / Ver: etxerat 1 e 2 / Turrune!

ONGI ETORRI, ANE MIREN!
Ao cabo de quase 40 – quarenta – anos longe dos seus, em virtude do compromisso que assumiu em prol da libertação política e social do seu povo, Ane Miren Alberdi regressou a casa.Foram 40 anos passados no exílio e nos cárceres, em função do firme compromisso assumido. Agora, regressou a casa, em Bergara (Gipuzkoa), onde foi calorosamente recebida.
«Ao trabalho! Até que todos os presos e refugiados políticos regressem a casa, até que alcancemos a independência e o socialismo». (Esquerda Abertzale de Bergara)

Donostia em festa pode ver enorme faixa contra o TGV

ASEH-Lisboa - AL, 08/11/2014 - 23:33
Este fim-de-semana, um grupo de opositores ao TGV colocou uma enorme faixa com a inscrição «AHT EZ» [não ao TGV] numa das encostas do monte em Ondarreta.

Com esta acção, os opositores denunciam um projecto que consideram destrutivo e esbanjador de recursos, e procuram ampliar a sua divulgação numa semana de grande agitação na capital guipuscoana, com a Aste Nagusia [Semana Grande das festas].

Banhistas e foliões podem ver a faixa, de grandes dimensões, em toda a Kontxako badia [Baía da Concha]. / Ver: topatu.info

Omar Pérez Salomón: «El Partido Comunista y el futuro de la Revolución cubana: 20 realidades»

ASEH-Lisboa - AL, 08/11/2014 - 23:32
Más de un 60% de los actuales militantes ingresó al partido a partir de que comienza el Período especial, cuando nuestros enemigos e incluso algunos amigos, pronosticaban el derrumbe de la Revolución.

El Partido Comunista de Cuba tiene cerca de 700 mil efectivos, y la Unión de Jóvenes Comunistas más de 350 mil miembros, distribuidos en todos los sectores de la sociedad. (boltxe.info)

«Marines do Africom de Morón a Trípoli», de Carlos LOPES PEREIRA (odiario.info)
A agressão militar da NATO, que levou ao derrube do regime liderado por Muhamar Kadhafi e ao seu assassinato, instalou o caos na Líbia. A economia daquele que ainda há pouco era um dos países mais ricos e desenvolvidos de África afunda-se, num quadro de guerra civil e de desagregação do Estado. O imperialismo procura resguardar e pilhar as zonas de exploração de petróleo e os portos por onde é exportado. Quanto ao resto – a destruição de um país e a condenação do seu povo à miséria e à barbárie – é apenas um dano colateral.

Resumen Latinoamericano: programa de 8 de Agosto

ASEH-Lisboa - AL, 08/11/2014 - 23:31
A Palestina, a Argentina e a Ucrânia são os temas principais desta emissão. Cuba e as artes merecem também destaque especial. Ouve aqui, nas ondas livres da Hala Bedi irratia.
PALESTINA: reflexiones sobre la victoria política y militar de la Resistencia. Incertidumbre sobre la duración de la tregua. La Resistencia exige el levantamiento del bloqueo. // ARGENTINA: La presidenta de las Abuelas de Plaza de Mayo recupera a su nieto. Un triunfo de la memoria y la lucha contra la impunidad. // UCRANIA: Continuan los enfrentamientos. El avance neofascista se estrella contra la resistencia. El grupo italiano Banda Bassotti organiza una brigada antifascista para ir a Ucrania en defensa de quienes luchan en Donbass. // CUBA: Encuentro cumbre de la poesía y la música: El poeta cubano Fernández Retamar y Silvio Rodríguez. Una página inolvidable del arte comprometido cubano, en el 50 aniversario de Casa de las Américas. // URUGUAY: A pedido de nuestros oyentes, repetimos el encuentro del escritor Gonzalo Abella y el grupo uruguayo Arazá.

Em Leitza houve «Independentzia Eguna»

ASEH-Lisboa - IG, 08/10/2014 - 23:34
Ontem, teve lugar em Leitza (Nafarroa) a celebração do Independentzia Eguna [Dia da Independência], convocado pela Rede Independentistak assim mesmo à beira do começo das festas locais. Estiveram presentes os autarcas de Leitza e de Bermeo (Bizkaia); de Igualada (Países Catalães), vieram castellers.

Para a ocasião, preparou-se um programa para todo o dia. Os txistularis deram início às hostilidades, seguindo-se exibições de desportos tradicionais, os já referidos castellers, uma homenagem à ikurriña - numa praça repleta de «dizeres» - e uma manifestação pelas ruas de Leitza.

O acto principal decorreu nos Paços do Concelho, com a presença de Arantxa Iparragirre, autarca da localidade anfitriã, e Idurre Bideguren, autarca de Bermeo, localidade que receberá a próxima edição do Independentzia Eguna.

Txutxi Ariznabarreta, da Independentista sarea, apelou à continuidade do trabalho em prol da independência de Euskal Herria e recordou que a próxima mobilização terá lugar a 12 de Outubro, com o lema «Gora Euskal Errepublika» [Viva a República Basca]. / Ver: ahotsa.info / Fotos: Independentzia Eguna, Leitzan (ahotsa / Berria)

Entretanto, «diz que» o PP já se mostrou desgostoso com a exibição de uma enorme «estelada» (bandeira catalã) na fachada da Câmara Municipal, que tapou - diz a extrema-direita - a bandeira espanhola [não se vê, é um facto].

Em Donostia, começou a Aste Nagusia
O tiro de canhão, cuja mecha foi acesa por uma mulher pela primeira vez, deu início à Semana Grande das festas donostiarras, que se prolongam até dia 16. A «abordagem» é amanhã, segunda-feira.
Mais informação: Donostiako Piratak / Donostiako Piraten Aste Nagusiako Egitaraua [Programa dos Piratak]

Mikel Arizaleta: «Agur, Karmele Zubiri!»

ASEH-Lisboa - IG, 08/10/2014 - 23:33
Hay muertes que, de vivas, nos dan las buenas horas, nos lustran la sonrisa, nos atan los zapatos con los que andar el día, nos rondan y nos cantan los sueños que aún amamos.

Son muertes tan poco moribundas que siempre están naciendo y así no tengan visa para el cielo o el aval de la ley para la gloria van a seguir estando con nosotros, memoria que respira y pan que se comparte, dichosamente vivas. (lahaine.org)

«Pese a todo, persistiremos», de Timoleón JIMÉMEZ (boltxe.info)
[Para] la gran prensa [...] las guerrillas son las responsables de haber iniciado la larga confrontación, y son las verdaderas y únicas responsables de todos los horrores sucedidos en el curso de ella. Mientras tanto se santifican los monstruos civiles y militares, que, por gozar de enormes peculios, tienen asegurada su respetabilidad.

«Sin solapar nada», de Borroka Garaia Da (BorrokaGaraiaDa)
El caso es que la teorización del marco autónomo creó una síntesis donde la lucha nacional no solapa a la lucha de clases, ni la lucha de clases solapa a la lucha nacional como pretendían estos sectores que abandonaron ETA. Sino que como afirmaba Argala son las dos caras de la misma moneda. Son la misma cosa. Una patria libre de hombres y mujeres libres. [...] El marco autónomo para desarrollar la lucha de liberación partía del reconocimiento de Euskal Herria como nación oprimida, y de la toma de conciencia nacional de la clase trabajadora vasca. Una lucha diferenciada, con su propio ritmo y características exclusivas
[...]
Han pasado bastantes años desde entonces y parece mentira que una parte grande de la izquierda española siga pensando en términos de imperio y no comprenda de una vez que los trabajadores vascos no son españoles ni franceses, sino única y exclusivamente vascos. Así como que haya vascos que crean que pueda tener éxito un proceso de liberación no comandado por la radicalidad de la clase trabajadora vasca en una lucha de contrarios.

Páginas

Suscribirse a Askapena agregador: EH Lagunak (pt)