Países en desarrollo es el nombre con que los expertos designan a los países arrollados por el desarrollo ajeno

Eduardo Galeano

Se encuentra usted aquí

EH Lagunak (pt)

Endavant: «Proceso soberanista catalán a fondo (y 2ª parte)»

ASEH-Lisboa - AZ, 09/03/2014 - 23:32
-Perspectivas de cambio social
-El proceso soberanista y los Países Catalanes
-Objetivos, etapas y líneas de actuación en los próximos meses
(BorrokaGaraiaDa)


«No estamos en la recta final», de FARC-EP (boltxe.info)
Nos preguntamos entonces a qué juega el gobierno con sus anuncios, cuando lo normal sería no crear falsas expectativas, y por el contrario explicar, que si bien se avanza en varios campos, lo que está por definirse, como es el caso de las transformaciones institucionales, aún toma tiempo.

«Explotados y, además, pobres», de Jotabepress (lahaine.org)
Lo que tenemos que hacer los trabajadores es luchar para reconquistar todos los derechos laborales, salariales y sociales que nos han robado.

Besh o droM - «Meggyujtom a Pipam»

ASEH-Lisboa - AZ, 09/03/2014 - 23:31
São húngaros e não tarda nada-nada estão a actuar em Portugal, à beira do Tejo, com Lisboa a ver-se.

Lances livres contra os cortes nos apoios sociais em Barakaldo

ASEH-Lisboa - AT, 09/02/2014 - 23:34
Esta manhã, o colectivo Berri-Otxoak, plataforma contra a exclusão social e de defesa dos direitos sociais, concentrou-se frente ao Departamento de Acção Social da Câmara Municipal de Barakaldo (Bizkaia) em protesto contra os cortes nos apoios sociais à população desempregada e carenciada do município e contra «a total prioridade» que está a ser dada ao mundial de basquetebol.

Aproveitando o contexto da realização do mundial de basquetebol, também no município, membros da plataforma trouxeram um cesto para a rua, vestiram roupa desportiva e começaram a lançar bolas ao cesto frente às referidas instalações municipais, para denunciar o facto de a Câmara estar a dar «total prioridade» ao mundial, gastando mais de 200 mil euros «em autopropaganda», e pondo de parte os problemas das populações: o desemprego, a precariedade (ainda ontem um morador de Barakaldo perdeu a vida num acidente laboral) e a falta de recursos.

A mobilização serviu também para denunciar os contínuos cortes aplicados pelo município ao nível dos apoios sociais. Em Julho, num decreto «ao fiel estilo Rajoy», a autarquia decidiu cortar 50% nas prestações atribuídas às famílias para fazerem frente às necessidades mais básicas.

Numa nota de imprensa, a Berri-Otxoak afirma que:
as situações de pobreza se agravam em Barakaldo (8% dos casos são situações de pobreza severa; 2500 mulheres, viúvas, vivem abaixo do limiar da pobreza); a taxa de desemprego se situa nos 19% e que 63% dos desempregados não recebem qualquer tipo de apoio; 4000 pessoas recorreram ao Banco Alimentar; há pessoas a receber ajuda alimentar de organizações religiosas; durante o Verão, cerca de 300 crianças tiveram dificuldade em comer a refeição principal do dia, uma vez que não tinham apoio dos refeitórios, encerrados; todas as semanas, quatro famílias são despejadas de suas casas; há falta de trabalhadores nos serviços sociais municipais, o que provoca atrasos de sete meses nos processos relacionados com as famílias carenciadas na localidade; continua por atribuir a verba destinada à criação de um albergue para pessoas sem-tecto (obrigatório em municípios com mais de 20 mil habitantes). / Ver: herrikolore.org e lahaine.org

O Mugitu denuncia a criminalização da oposição ao TGV

ASEH-Lisboa - AT, 09/02/2014 - 23:33
Uma habitante de Tutera (Nafarroa) prestou declarações esta manhã no tribunal local, acusada de ter praticado um crime de danos quando, diz a Polícia Foral, participava numa acção de protesto contra o TGV em Castejón. A acusada negou qualquer relação com «esses factos» e disse não ter participado na ocupação simbólica do Museu Ferroviário, uma vez que se que se encontrava longe, em Orio (Gipuzkoa). Uma concentração convocada pelo Mugitu apoiou a jovem.
Cerca de 30 pessoas concentraram-se hoje de manhã frente ao Tribunal de Tutera para apoiar a jovem Ainhoa Fernández, habitante da localidade navarra que teve de prestar declarações na presença de um juiz na sequência das acusações vertidas contra ela pela Polícia Foral: acusa-a de um crime de danos durante um protesto simbólico contra o TGV que teve lugar no Museu Ferroviário de Castejón, em Março deste ano. Ainhoa disse ao juiz nada ter a ver com os factos de que é acusada e que, na verdade, no dia do protesto em Castejón nem sequer poderia ter sido ali identificada pelos agentes, pois estava a gozar o fim-de-semana numa localidade costeira de Gipuzkoa.

Naquele dia, por iniciativa do Mugitu Mugimendua, o Museu Ferroviário de Castejón foi ocupado de forma simbólica, para «denunciar as consequências da progressiva implantação do TGV: supressão de linhas, eliminação de serviços ferroviários e o mais que provável encerramento de estações provinciais», referiram os organizadores. A ocupação, em que participaram 30 pessoas, durou uns 30 minutos, aproveitados para lançar diversas palavras de ordem do terraço do edifício contra o projecto do TGV.

«Durante a acção de protesto não se aproximou qualquer patrulha policial, não houve qualquer problema com o trabalhador do museu nem com nenhuma das pessoas que assistiram à acção. Também não houve danos nas instalações do museu», refere o Mugitu. / Ver: ahotsa.info e mugitu

Bruno Carvalho: «Banda Bassotti, vozes comprometidas com o internacionalismo»

ASEH-Lisboa - AT, 09/02/2014 - 23:32
E agora que passam 30 anos daquela primeira viagem à Nicarágua, o punk comprometido dos Banda Bassotti voa até essa terra que sangra e que representa uma das primeira fronteiras da dignidade contra o fascismo. Por estes dias, vários grupos estrangeiros que os acompanham tentam romper o cerco mediático e resgatar a verdade que vivem os que lutam pela libertação do Leste da Ucrânia. Quando os fascistas galopam livremente com o apoio dos Estados Unidos e da União Europeia, os resistentes da região do Donbass não são apenas um exemplo para o seu povo. Eles são o muro de defesa antifascista que importa reforçar para extirpar de vez essa forma de capitalismo a que dão o nome de nazi-fascismo. A solidariedade com o povo e os combatentes de Donbass é urgente. Não passarão! (manifesto74)

«Triunfarán las ideas justas o triunfará el desastre», de Fidel CASTRO (boltxe.info)
¿No sería preferible, luchar por producir más alimentos y productos industriales, construir hospitales y escuelas para los miles de millones de seres humanos que los necesitan desesperadamente, promover el arte y la cultura, luchar contra enfermedades masivas que llevan a la muerte a más de la mitad de los enfermos, a trabajadores de la salud o tecnólogos que según se vislumbra, podrían finalmente eliminar enfermedades como el cáncer, el ébola, el paludismo, el dengue, la chikungunya, la diabetes y otras que afectan las funciones vitales de los seres humanos?

Endavant: «Proceso soberanista catalán a fondo (1ª parte)»

ASEH-Lisboa - AT, 09/02/2014 - 23:31
El documento que viene a continuación, que debido a su extensión será publicado en dos partes (hoy y mañana) es el análisis de la organización socialista para la liberación nacional catalana (Endavant – OSAN) en torno al proceso soberanista catalán, las razones de su surgimiento, la composición del independentismo actual y qué papel están jugando la clases sociales en todo ello. Las perspectivas para el cambio social, objetivos, etapas y líneas de actuación de la izquierda independentista catalana para los próximos meses clave donde está convocado el famoso referéndum del 9 de noviembre. La traducción puede contener algún error ya que se ha realizado con herramientas online y ajustes manuales. BGD! (BorrokaGaraiaDa)

Um acidente laboral em Bilbo provoca a morte de mais um trabalhador

ASEH-Lisboa - AL, 09/01/2014 - 23:34
De acordo com a informação divulgada pelo naiz.info, um trabalhador de Barakaldo (Bizkaia) perdeu a vida esta manhã num acidente laboral ocorrido no bairro bilbaíno de Arangoiti. O acidente ocorreu às 9h30 numas obras de construção. O operário morreu depois de o veículo dumper que guiava se ter virado.

O habitante de Barakaldo, de 49 anos, trabalhava para a empresa Construcciones Ribaga, que tinha sido subcontratada pela empresa EXBASA.

Em protesto contra a precariedade laboral e os acidentes de trabalho, os sindicatos ELA, LAB, HIRU, STEE-EILAS e ESK convocaram uma mobilização para amanhã, às 11h00, na Done Petri plaza, no bairro bilbaíno de Deustu.

Numa nota – em baixo indicada – o sindicato LAB afirma que, em 2014, já perderam a vida nos seus postos de trabalho pelo menos 30 trabalhadores e trabalhadoras em Euskal Herria: 3 em Araba, 12 na Bizkaia, 7 em Gipuzkoa e 8 em Nafarroa. / Ver: uriola.info
Ver nota: «30 muertes obreras en accidente laboral en 2014 en Euskal Herria», de LAB Sindikatua (lab.eus)

Tribunal de Pau dá ordem de expulsão à ikastola de Ziburu

ASEH-Lisboa - AL, 09/01/2014 - 23:33
O Tribunal Administrativo de Pau deu um prazo de sete dias à ikastola de Ziburu (Lapurdi) para abandonar o edifício em que se encontra, no bairro de Marinela. Depois disso, por cada dia passado no edifício a ikastola terá de pagar 100 euros. O ano lectivo em Iparralde [Norte do país] começa amanhã.

No dia 5 Julho, terminou o acordo firmado entre o município e a Kaskotenia ikastola para que os alunos desta pudessem utilizar um espaço público no bairro de Marinela. Face à necessidade de se chegar a um novo acordo, a Câmara Municipal começou a colocar problemas sobre a localização da ikastola – sendo que a Seaska (Federação das Ikastolas de Iparralde) jamais ponderou a hipótese de que a localidade ficasse sem essa instituição de ensino.

Então, a Câmara levou o caso para os tribunais: primeiro para o de Baiona, que considerou que o tema era demasiado complexo; depois para o de Pau, que na sexta-feira, 29 de Agosto, adiou uma decisão para hoje.

Ainda antes de conhecer a sentença, o presidente da Seaska, Hur Gorostiaga, disse que, independentemente da decisão judicial, na terça-feira o ano lectivo iria começar no mesmo local. / Ver: argia.com

EH Bildu reivindica autodeterminação e direitos dos presos no mundial de basquetebol

ASEH-Lisboa - AL, 09/01/2014 - 23:32
Ontem, dia 31 de Agosto, a coligação independentista de esquerda levou a cabo a segunda concentração junto ao BEC (Bilbao Exhibition Centre), em Barakaldo (Bizkaia), no âmbito da realização do campeonato do mundo de basquetebol.
Com esta mobilização, o EH Bildu quis dar visibilidade à reivindicação do direito de autodeterminação para Euskal Herria, reclamar os direitos dos presos políticos bascos e dar informação sobre essas questões a quem está a visitar Euskal Herria.

Para tal, foram distribuídas ikurriñas e folhetos entre os fãs de basquetebol – muitos dos quais, vindos do estrangeiro, se aproximaram para tirar fotos às faixas e à iniciativa no geral, e fizeram perguntas sobre o País Basco. / Ver: herrikolore.org

Ver também: «Reivindicação da autodeterminação para o Basque Country no epicentro do mundo globalizado» (herrikolore.org)

Silvio Rodríguez: «A pesar de los errores, en Cuba sí se ha construido un nuevo ser humano»

ASEH-Lisboa - AL, 09/01/2014 - 23:31
Silvio Rodríguez, en entrevista exclusiva con Fernando Ravsberg, asegura que sus conciertos gratuitos por las prisiones o por los barrios se corresponden a una forma de vida: «para mí sería raro vivir de otra forma, no me hallaría, no me podría mirar al espejo», dice en la entrevista y asegura que en Cuba «se ha construido un nuevo ser humano». [Cámara y Edición: Raquel Pérez]«Estos son unos estudios de grabación que no se autofinancian, siempre están en números rojos. Los financio yo con mis giras en el exterior, como todo lo que hago en Cuba», cuenta el cantautor Silvio Rodríguez en la entrevista. También debe financiar de su bolsillo los conciertos gratuitos que hace por las barriadas más humildes de toda la isla.

Silvio Rodríguez piensa que «en Cuba hay una especie diferente y que es gracias a la formación que nos ha dado esta vida que hemos tenido. Yo creo que aquí se ha construido un nuevo ser humano».

Y finaliza la entrevista preguntándose cómo es posible que un gobierno «tan malo» como lo describen sus enemigos haya formado ese pueblo tan bueno que todos reconocen. / Fonte: cubainformacion.tv

Ospa Eguna: grande jornada em Altsasu contra a repressão e a militarização

ASEH-Lisboa - IG, 08/31/2014 - 23:34
Realizou-se ontem, dia 30, uma nova edição do Ospa Eguna [Dia do Baza], em Altsasu, para exigir o fim da repressão e da militarização do Vale de Sakana (que tem a maior densidade policial da União Europeia) e de Euskal Herria no seu todo. Muitas centenas de pessoas participaram nas várias actividades programadas ao longo do dia na localidade navarra, que, ao invés do que se passou o ano passado, não foi «invadida» pelos da Benemérita (ficaram-se a controlar os acessos). No comunicado lido na Herriko Plaza, o Ospa Mugimendua sublinhou que «as assembleias anti-repressivas já foram criadas há alguns anos, e que o tempo se encarregou de lhes dar razão: a melhor forma de fazer frente à injustiça e aos abusos é a organização».
É com orgulho, afirmaram, que trabalham em prol de «uma terra submetida a controlos policiais, sem ameaças, sem registros, sem censura, sem cacetetes, sem balas de borracha assassinas, sem montagens policiais, sem multas políticas».
«A nossa actividade não se limita à realização do Ospa Eguna. Se as forças repressivas não têm descanso, nós também não. Eles vão manter-se firmes na tentativa de levar este povo a engolir o actual status quo: a imposição e a ocupação pela força e o controlo político e social». Este ano, mais uma vez, deixaram claro qual vai ser o seu contributo «para uma resolução democrática e para um futuro de paz baseado na justiça», acrescentaram.
EXEMPLOS
- 12 agentes da Guarda Civil atacam, ameaçam e tratam de forma humilhante um jovem de Altsasu, tirando-lhe as calças e a roupa interior. Tudo isto, enquanto na localidade um grupo de fascistas atacava um acto a favor dos perseguidos políticos bascos, com total cumplicidade policial;
- uma jovem de Altsasu enfrenta um processo judicial por ter participado num muro popular que, de forma desobediente e pacífica, fez frente à detenção de jovens bascos independentistas, acusados pela sua militância política. O processo baseia-se numa montagem da Ertzaintza, e envolve pedido de prisão; 
- ocupação militar sem precedentes, ameaças, revistas, proibições e detenção de um jovem de Iturmendi no Ospa Eguna de 2013;
- perseguição a dois habitantes de Etxarri, que foram intimados a depor por causa da realização da consulta sobre o direito a decidir que se realizou em Abril deste ano;
- vários habitantes de Sakana multados por exercerem o direito à manifestação;
- ataques a diferentes suportes de propaganda com mensagens a favor dos refugiados políticos bascos;
- imposição da bandeira espanhola e perseguição aos símbolos do nosso país.

Controlos nas estradas de Sakana
Os representantes do movimento Ospa também não se esqueceramm dos inúmeros controlos a que a população da Comarca de Sakana é submetida, onde, à entrada ou à saída das terras, é quase impossível não se ser parado por polícias de diferentes cores.
«A sua rede repressiva é lançada contra o povo, e, como tal, a resposta deve ser do povo. Assim, aquilo que a assembleia do Ospa pede é muito claro: tendo em conta a exibição de imposição, ocupação e força militar que fizeram em 2013 (e que prolongaram desde então...), incentivamos o povo de Altsasu, de Sakana, de Euskal Herria a fazer frente à repressão, a ocupar as ruas e a responder com a força da nossa cultura, dos nossos festejos, dos nossos colectivos populares, das nossas marcas de identidade», defendeu o Ospa Mugimendua.

Ospa Eguna 2014: «Alde hemendik! Utzi bakean!»Vão-se embora! Deixem-nos em paz! / Ver: ahotsa.info

Borroka Garaia: «Relación entre opresión, represión y normalización»

ASEH-Lisboa - IG, 08/31/2014 - 23:33
El objetivo de la represión por mucha paradoja que parezca es no ejercer represión. Los opresores no son entes guiados por una maldad irracional. Sino que es estudiada y científica. De esta manera, la represión es la fuerza necesaria a utilizar para que una opresión se mantenga. [...]
No existe ningún proceso normalizado, sosegado y tranquilo hacia la liberación nacional y social. Para acabar con la opresión el precio se debe pagar en monedas de inestabilidad. Buscar una normalización en realidad es la expresión oculta del cierre de caminos. Es la «paz social» de la convivencia interclasista que busca la oligarquía y la patronal, es la paz plácida de la que hablaba Mayor Oreja en relación al franquismo. También tiene otros nombres, paz de los cementerios, pax romana.(BorrokaGaraiaDa)

«Notícias do meu país», de Correia da FONSECA (odiario.info)
A questão é que, tanto quanto me parece, a televisão mudou enquanto documento quotidiano da realidade portuguesa.

Conferência: «Nazismo na Ucrânia e resistência popular no Donbass»

ASEH-Lisboa - IG, 08/31/2014 - 23:32
A conferência «Nazismoa Ukrainian eta herri erresistentzia Donbassen» será dada pelo professor Asier Blas, politólogo e professor da Univ. do País Basco, no dia 5 de Setembro em Altsasu (Nafarroa) e no dia 10 em Arrasate (Gipuzkoa).

Em Altsasu, a iniciativa enquadra-se num Elkartasun Asteburua ou fim-de-semana solidário com o Donbass, organizado pelo Comité EH-Donbas e pelo gaztetxe local. No dia 6, haverá vários concertos para apoiar economicamente o povo da Novorossiya e a «Carovana Antifascista», organizada pelo grupo italiano Banda Bassotti.

Em Arrasate, a iniciativa é organizada pelo Comité EH-Donbas em conjunto com a organização internacionalista basca Askapena e a Irati taberna. / Ver: SareAntifaxista 1 e 2

KOP - «Leitmotiv»

ASEH-Lisboa - IG, 08/31/2014 - 23:31
Ao vivo na Sala Apolo, em Barcelona (09/01/2009).
Amnistia i llibertat! Amnistia eta askatasuna! Amnistia e liberdade!

Apesar dos obstáculos, houve solidariedade com os presos e refugiados em Oteiza

ASEH-Lisboa - L, 08/30/2014 - 23:34
Apesar da proibição da Audiência Nazional espanhola, dezenas de pessoas participaram num almoço em defesa dos direitos dos presos e refugiados políticos bascos nas festas de Oteiza (Lizarraldea, Nafarroa).

No dia 23, faz agora uma semana, realizou-se um almoço popular em Oteiza a favor dos presos. Pese embora todas as dificuldades, cerca de 40 pessoas juntaram-se na praça da terra para evocar os perseguidos políticos bascos e solidarizar-se com eles.

Logo nas primeiras horas do dia, dois jipes das forças armadas de ocupação e uns seis polícias instalaram-se na localidade. Depois de identificarem e ameaçarem um jovem que estava a trabalhar, tiraram-lhe um lenço vermelho das festas com um símbolo a favor da amnistia. Para além disso, tiraram fotos na Herriko Plaza e controlaram uma das duas entradas da localidade durante toda a manhã.

Recorde-se que, este Verão, a AN espanhola proibiu os almoços a favor dos presos em várias localidades de Lizarraldea, tendo sido enviadas também para aí forças armadas espanholas.

Apesar dos acontecimentos que perturbaram Oteiza, a iniciativa em defesa dos presos e refugiados políticos bascos foi vivida com normalidade. / Ver: ahotsa.info

Exaixu - «Borrokalari kalera» Versão e clip para o Kalera Rock do ano passado, em Durango (Bizkaia).

Bruno Carvalho: «Não há paz sem justiça»

ASEH-Lisboa - L, 08/30/2014 - 23:33
E aqui andamos, à espera que os banqueiros que nos fodem a vida e mandam nos jornais dirijam o barómetro dos nossos pensamentos. Caiu um avião abatido? A culpa é dos russos. Não é? Então não se fala mais nisso. Morrem civis decapitados na Síria às mãos do ISIS? Não importa porque o governo não é dos nossos. O ISIS faz o mesmo no Iraque? Que desastre, que assassinos, que barbárie. Mataram um negro em Ferguson? Algo de mal estaria a fazer. (manifesto74)

«A verdadeira amizade», de Fidel CASTRO (Diário Liberdade)
O que a Venezuela está fazendo hoje é um exemplo excepcional. São conhecidas as medidas de punição do imperialismo contra ela, desde que tentaram derrocar Chávez com o apoio da oligarquia fascista da Venezuela e bani-lo, se fosse possível. Ele nunca vacilou e continuou sendo solidário com a nossa Pátria nos tempos mais difíceis. [em castelhano: boltxe.info]

Angel Etxaniz homenageado em Ondarroa

ASEH-Lisboa - L, 08/30/2014 - 23:32
Realizou-se hoje, 30, um jogo de futebol no campo de Zaldupe, em Ondarroa, para homenagear Angel Etxaniz Olabarria, quando se cumprem 34 anos sobre o seu assassinato por «desconhecidos» a soldo do grupo paramilitar Batallón Vasco Español.

Angel era muito conhecido pela sua militância abertzale de esquerda e pela sua oposição ao franquismo (foi detido várias vezes nos anos 60 e 70 e torturado) e também pela sua paixão pelo desporto (Zaldupe era como uma segunda casa para ele, diz o Lea-Artibai Hitza).

A família de Etxaniz esteve presente em Zaldupe, onde, ainda antes do início da partida, se realizou um acto simples e carregado de emoção. / Mais fotos: Turrune! / Mais info: aseh [Eskerrik asko, Angel!]
DONOSTIA ATRIBUI NOME DE TOMÁS ALBA A PRAÇA
O Governo Municipal de Donostia aprovou a atribuição do nome do antigo vereador Tomás Alba Irazusta (Herri Batasuna) a uma praça da cidade, localizada no bairro de Sagues, entre as ruas Joxe Migel Barandiaran e Luis Pedro Peña Santiago. A decisão terá de ser aprovada em sessão de Câmara, a 25 de Setembro.

Tomás Alba, que morava em Astigarraga - antigo município que esteve integrado em Donostia até 1987 -, foi eleito vereador pelo Herri Batasuna nas eleições de Abril de 1979. Na madrugada de 28 de Setembro de 1979, foi assassinado por dois mercenários de extrema-direita ao serviço de um grupo paramilitar - GAE ou BVE - quando se dirigia para o seu carro, à saída de um restaurante, em Astigarraga. / Mais informação: Berria

Ver também: «Donostia: Recordando a Tomas Alba Irazusta» (ezkerabertzalea.info)
Siendo ésto así, tenemos que situar el asesinato de Tomas en este contexto: esto es, dentro de la actividad ejercida por mercenarios, policías o militares que utilizaban fondos públicos y eran dirigidos por orden de algunos partidos nacionalistas españoles que hoy en día están en este ayuntamiento. Aunque los ejecutores materiales del asesinato fueron dos mercenarios, los GAE reivindicaron su autoría, los que a la postre se denominarían BVE, AAA y GAL, pero siendo al fin y al cabo una misma cosa: el estado español.

«Acampamento da resistência» de Getxo: a terra e o cimento frente a frente

ASEH-Lisboa - L, 08/30/2014 - 23:31
O Governo de Lakua quer construir um parque de estacionamento junto à estação de metro de Ibarbengoa, no bairro de Andra Mari (Getxo, Bizkaia), o que implicaria a destruição da horta comunitária que ali existe desde Setembro de 2011. A partir de 1 de Setembro, haverá um «acampamento de resistência para protestar contra o cimento e a especulação» associadas ao projecto.

No vídeo em baixo - «Tosu aurrera!» -, alguns dos membros que participam na horta comunitária de Tosu, gerida pelos jovens da localidade, falam-nos da horta, daquilo que, em seu entender, está associado ao projecto de construção para ali anunciado e do acampamento resistente organizado. / Mais info: argia.com e BorrokaGaraiaDa

Tosu aurrera! [Algortako Gazteak][Respostas com legendas em castelhano. Perguntas: Onde estamos? Que faz aquilo aqui? Que querem eles fazer? Porque ocuparam Tosu Landa?]

Irailaren 1-15 erresistentzia akanpada Tosuko landan. Itxarongo zaitugu!
De 1 a 15 de Setembro, acampamento de resistência nos campos de Tosu. Esperamos por ti!

Ver também: «Las mentiras del parking de Ibarbengoa» (Getxoko Auzokideok)
El parking es el caballo de troya para retomar el plan de convertir Andra Mari en el único espacio especulativo que queda en Getxo. La jugada está más elaborada que en 2007, donde a lo bruto el marcial Zarraoa anunció la suculenta operación de 8.000 viviendas en Andra Mari. La estación de Ibarbengoa hoy levantada está diseñada para ese dimensionamiento urbano. Pero en lugar de casitas de las que sacar pingües plusvalías, ahora pasamos a un plan para hacer infraestucturas y parques tecno-ilógicos en Mariturri. El parking es la avanzadilla.

A oposição ao TGV fez-se sentir em Donostia

ASEH-Lisboa - OT, 08/29/2014 - 23:34
Ontem, 28, dezenas de pessoas participaram na iniciativa convocada pelo movimento Mugitu! contra o TGV, por ocasião da realização do primeiro conselho de Governo de Lakua no novo ano político, no Miramar Jauregia / Palácio Miramar, em Donostia.

O protesto, que assumiu a forma de uma kalejira guiada por um «TGV-Tubarão» montado pelo lehendakari Urkullu, partiu às 11h00 do coreto do Boulevard e teve como propósito denunciar a lógica «depredadora» de um projecto que «esbanja os recursos e destrói o território». / Vídeo: piztu.info / Notícia: lahaine.org

PROSSEGUE A CRIMINALIZAÇÃO
Também ontem, veio a público a notícia de que uma habitante de Tutera pode ser acusada do crime de danos por ter participado, em Março deste ano, numa acção de protesto contra o TGV no Museu Ferroviário de Castejón (Erribera, Nafarroa), que foi ocupado como forma simbólica de «denunciar a eliminação de serviços ferroviários básicos como consequência da implantação do TGV», refere o Mugitu.

A moradora de Tutera vai ter de prestar de declarações, dia 2 de Setembro, no Tribunal da capital da Erribera, junto ao qual haverá uma concentração, convocada pelo Mugitu (11h15), em protesto contra «esta nova tentativa de criminalização da oposição ao TGV». / Ver: topatu.info e ahotsa.info / Crónica da acção simbólica (mugitu)

50 estudantes multados por participação em marcha contra a repressão e a Lomce

ASEH-Lisboa - OT, 08/29/2014 - 23:33
No final do último ano lectivo, a 30 de Maio, o sindicato Ikasle Abertzaleak organizou uma marcha ciclista pelas ruas da capital navarra em protesto contra a Lomce, e, em especial, contra a repressão exercida sobre os estudantes na sequência de uma greve geral estudantil. A marcha de protesto decorreu sem incidentes, mas, a dada altura, a Polícia espanhola parou-a e procedendo à identificação de 50 pessoas. Agora, todas elas estão a receber multas, entre os 750 e os 1500 euros.

Gora ikasle borroka! Viva a luta dos estudantes!Neste vídeo, o Ikasle Abertzaleak de Nafarroa fez saber que irá pôr em marcha uma campanha solidária com os multados, por forma a conseguir a ajudá-los economicamente. / Ver: topatu.info e ahotsa.info

Páginas

Suscribirse a Askapena agregador: EH Lagunak (pt)
randomness