Nahiago zutik hil, belauniko bizi baino

Dolores Ibarruri

Hemen zaude

EH Lagunak (pt)

Quatros bilbaínos em risco de prisão por um artigo de opinião

ASEH-Lisboa - AZ, 09/17/2014 - 23:35
Por um artigo de opinião publicado na imprensa em 2012, seis moradores da Alde Zaharra [Parte Velha] de Bilbo foram indiciados e julgados. Agora, quatro deles podem ir parar à cadeia. Para sexta-feira, 19, foi convocada uma manifestação para os apoiar; parte às 20h00 da Etxebarrieta plaza, em Bilbo.

Em Agosto de 2012, por ocasião do 25.º aniversário da morte da sua conterrânea Marta Pérez, seis bilbaínos publicaram um artigo de opinião, no Gara e no Berria. Cinco deles, acusados de «enaltecimento do terrorismo» pela publicação do artigo, foram julgados, em Fevereiro do ano passado, na AN espanhola, e condenados a um ano de cadeia. O recurso para o Supremo espanhol não deu em nada.

Numa conferência de imprensa ontem realizada em Bilbo, ficou-se a saber que quatro dos arguidos correm o risco de ir parar à prisão. O quinto foi multado em 7300 euros e o sexto está à espera de ser julgado no Tribunal de Menores.

Na conferência de imprensa, em que estiveram presentes alguns dos condenados e a sua advogada, dezenas de pessoas fizeram questão de lhes expressar apoio. Apesar de não terem conhecido Maite, o propósito do artigo foi evocar a figura de alguém que foi muito querida no bairro. «Não foram palavras escritas contra ninguém e sim a favor de muitos», afirmaram.

Acusaram aqueles que os condenam e os levam à prisão de o fazerem, como nas ditaduras fascistas, censurando o direito à livre expressão da palavra e criticaram de forma veemente a tentativa de imposição de «um relato único» sobre o conflito que se vive em Euskal Herria. Perante isto, reivindicaram o seu legítimo direito «a divulgarem o seu relato, assente na verdade». / Ver: topatu.info e naiz.info / Mais info: oroimena_delitu_denean

Entrevista a Iñaki Gil de San Vicente: «Marxismo, historia y autodeterminación» [vídeo]

ASEH-Lisboa - AZ, 09/17/2014 - 23:34
Néstor Kohan entrevista a Iñaki Gil de San Vicente :: Lucha de clases, historias nacionales e identidades culturales. El marxismo vasco y la historia de la insurgencia independentista. [Sugestão da aseh: não perder!]Sinopsis: Las reflexiones maduras de Marx, posteriores a 1860, sobre el mundo comunal. Dificultades y limitaciones de la noción engelsiana de supuestos «pueblos sin historia» ni porvenir. La categoría marxista de «pueblo trabajador» y la lucha de clases con el nacionalismo burgués. Independentismo y autonomismo, comunismo y nacionalismo burgués. La incomprensión de la socialdemocracia eurocéntrica. Las enseñanzas de Lenin, los bolcheviques y el derecho de las naciones oprimidas a la autodeterminación. Historia del país vasco (Euskal Herria) durante los dos últimos siglos. Desarrollo de su formación económico social.
Surgimiento histórico, social e ideológico de la izquierda independentista (abertzale). Sindicatos obreros, insurrecciones, guerras y revoluciones. La represión y el genocidio franquista, el fascismo y el nazismo europeo. Debates y polémicas con la socialdemocracia, el eurocomunismo y las izquierdas tradicionales. Lucha de clases, movimientos populares, historias nacionales e identidades culturales. El marxismo vasco y la historia de la insurgencia independentista. La izquierda independentista vasca (abertzale) y el internacionalismo revolucionario. La crítica de la burguesía vasca. Convergencias y afinidades electivas entre el marxismo revolucionario vasco y el marxismo latinoamericano y tercermundista.

PROYECTO MEMORIA DEL FUTURO. Brancaleone Films y Cátedra Che Guevara (http://amauta.lahaine.org). Este video también está en vimeo. / Ver: lahaine.org

A «reina» Letizia Ortiz vaiada em Donostia

ASEH-Lisboa - AZ, 09/17/2014 - 23:33
Donostia * E.H.
Dezenas de pessoas concentraram-se hoje na capital guipuscoana para protestar contra a presença de Letizia Ortiz em Euskal Herria, atrás de uma faixa do EH Bildu em que se lia «Herriaren erabakia errespetatu» [respeitem a vontade do povo].

Independentistas e antifascistas, exibindo várias bandeiras, apuparam a representante da realeza e gritaram palavras de ordem como «monarkia kanpora» [fora com a monarquia], «demokrazia Euskal Herriarentzat» [democracia para o País Basco] e «errepublika eta autodeterminazioa» [república e autodeterminação].

A Ertzaintza activou grandes medidas de segurança em redor do séquito real espanhol na zona. / Ver: SareAntifaxista

De Lisboa: liberdade para Alfon!

ASEH-Lisboa - AZ, 09/17/2014 - 23:32
Solidariedade com os grevistas que estão a ser condenados no Estado espanhol Em vários países do mundo, estende-se a solidariedade com grevistas que estão a ser condenados ao cárcere no Estado espanhol. Portugal não é excepção. Alfon foi detido na greve geral de 14 de Novembro de 2012 e esteve preso durante 56 dias até ser libertado. Agora, espera pelo julgamento que se realiza, amanhã, 18 de Setembro.
O Estado espanhol pede cinco anos de prisão para o jovem de Madrid que é também membro dos Bukaneros, claque do Rayo Vallecano, clube do bairro operário de Vallecas. Porque resistir e lutar pela classe trabalhadora não é crime mas antes sinónimo de dignidade, juntamo-nos aos apelos pela absolvição de Alfon. ALFON, LIBERDADE! / Fonte: Mentalidade Resistente

Kloratita - «Biharko Euskal Herria»

ASEH-Lisboa - AZ, 09/17/2014 - 23:31
«Langile nekazariak ta euskaldun guztiak / Ez dezagun gure herrian klase diferentziak / Egin dezagun biharko EH sozialista bat / Egin dezagun biharko EH komunista bat / Egin dezagun biharko EH gorria!!!» [Letra: aqui. / Letra e tradução: aqui.]

Grande apoio aos grevistas bilbaínos Urtzi e Telle nas ruas de Deustu

ASEH-Lisboa - AT, 09/16/2014 - 23:34
«Aske, aske, aske, grebalariak aske», gritou-se ontem à tarde nas ruas do bairro bilbaíno de Deustu. Cerca de 600 pessoas participaram numa manifestação para reclamar a liberdade dos dois jovens grevistas, bem conhecidos no bairro - Jon Telletxea e Urtzi Martínez -, que acabam de receber ordem de prisão. A partir de 22, têm um prazo de 10 dias para comparecem voluntariamente na prisão, ou seja, até dia 1 de Outubro.
O movimento Eleak e plataforma Grebalariak Aske! já avisaram que não os vão deixar sozinhos; as centenas de pessoas ontem presentes na manifestação também deram uma boa resposta. Ali, fez-se um apelo importante: que as pessoas apareçam dia 2 de Outubro, às 11h00, no Albia lorategia, frente ao Tribunal de Bilbo.
Para além disso, na mobilização reclamou-se a absolvição dos jovens, cuja condenação a 2 anos e meio de cadeia pela Audiência Provincial da Bizkaia, por «fazerem umas pintadas» na greve geral de 29 de Março de 2012, foi definida como «um atropelo» e resultado de «uma montagem vazia». / Ver: uriola.info
Comunicado: 
«La Asamblea Nacional de LAB muestra su solidaridad a Urtzi y a Jon», de LAB (LAB 1 e 2)
Martínez y Telletxea son conocidos por el ingente trabajo que realizan en el movimiento social de sus barrios; este es un castigo a su compromiso político. Así pues, el proceso judicial instruido contra ellos y el castigo impuesto constituye un ataque a toda la clase trabajadora.

Dispersão assassina: declarações de Joseba Artola sobre o acidente sofrido pela sua irmã Jone

ASEH-Lisboa - AT, 09/16/2014 - 23:33
Numa conferência de imprensa massiva na Praça do Arriaga, em Bilbo, a Etxerat pediu que se acabe de uma vez por todas com a política de dispersão, que este fim-de-semana provocou grave acidente mortal em Tutera, no qual estiveram envolvidos familiares do preso político basco Ugaitz Pérez. Jone Artola, que foi porta-voz da Etxerat vários anos, continua internada no Hospital de Basurto, à espera de ser operada ao úmero; o seu companheiro encontra-se sob observação, depois de hoje se ter dirigido às Urgências com tonturas e vertigens.

Declarações de Joseba Artola sobre a dispersão assassina [Erre Harria] Na conferência de imprensa, falou o irmão de Jone, Joseba Artola, bem como Nagore López de Luzuriaga e Izaskun Abaigar, porta-vozes da Etxerat, que sublinharam que sinistros como o ocorrido no sábado «não são um acaso», mas «uma consequência» da política posta em prática há 25 anos.

Os que hoje a mantêm são responsáveis por aquilo que possa acontecer todas as semanas a centenas de pessoas que fazem milhares de quilómetros para visitar os seus familiares. Ambas recordaram que nestes 25 anos, 16 familiares perderam a vida nas estradas e centenas ficaram feridos. Este ano, em nove meses houve nove acidentes graves.

Concentrações
Para voltarem a reivindicar o fim da vingativa política prisional vigente, foram convocadas para amanhã, ao meio-dia, concentrações em Bilbo (Praça do Arriaga), em Gasteiz (Praça da Virgem Branca), em Donostia (frente ao Alderdi Eder) e em Iruñea (frente ao Parlamento navarro). / Ver: lahaine.org

Itzubaltzeta: «Crónica de un vasco en la fiesta de Avante»

ASEH-Lisboa - AT, 09/16/2014 - 23:32
Hacer un resumen de la Festa es un ejercicio de memoria por todo entre lo que hay que navegar mentalmente y seleccionar, de añoranza por los buenos, irrepetibles momentos vividos, disfrutados en grata compañia, no es facil resumir lo que es y representa una fiesta donde lo ludico y lo politico se combinan para dar a luz una fiesta de amigos, de camaradas, de puro pueblo (boltxe.info)

«Obama, Cuba y el nuevo terrorismo», de Atilio BORÓN (lahaine.org)
Pero hace poco tiempo apareció una nueva forma de terrorismo, más sutil que la de la daga y la cimitarra pero cuyas víctimas se cuentan por millones: el terrorismo financiero. Su principal cultor y exponente no es el repugnante verdugo islámico vestido de negro sino un afrodescendiente de suaves modales, galardonado en el año 2009 con un insólito Premio Nobel de la Paz y que ocupa la presidencia de los Estados Unidos.

¡Alfon libertad! / Liberdade para Alfon!

ASEH-Lisboa - AT, 09/16/2014 - 23:31
«#AlfonLibertad: Del Ateneo de Madrid a Vallekas» (lahaine.org)
Una rueda de prensa en el Ateneo de Madrid con multitud de figuras de la cultura y la política precedió a una manifestación en Vallekas para exigir la absolución de Alfon.

«#AlfonSomosTodxs: Alfon Libertad»Ver: lahaine.org

Leitura:
«Alfon y el lenguaje del martillo», de La Haine-Madrid (lahaine.org)
Y seamos claros, el peligro es evidente. Sabemos que nosotros tenemos más equipamiento represivo, una logística adaptada a los intereses de los que pagan, tenemos más dinero y la complicidad de los medios de comunicación. Pero también sabemos que vosotros sois más, y, sobre todo, tenemos un serio problema: Sabemos que vosotros creéis con más fuerza en la victoria. [Na foto de baixo: acção solidária, hoje, em Bilbo.]

Trabalhadores da Nanuk concentraram-se em Bilbo em defesa de condições de trabalho dignas

ASEH-Lisboa - AL, 09/15/2014 - 23:34
No último trimestre do ano passado, os trabalhadores da Transportes Nanuk, de Elorrio (Bizkaia), levaram a cabo uma longa e dura luta pela defesa dos postos de trabalho e de um acordo de empresa que garantisse condições de trabalho dignas. Agora, vêem-se confrontados com novos ataques.

Apesar de os representantes dos trabalhadores terem firmado um acordo que estabelecia o cumprimento de 1724 horas de trabalho, a empresa não demorou a impor as 1900 horas, manifestando uma atitude prepotente e procurando meter medo a quem lhe fazia frente, violando direitos consagrados.

O LAB salienta também o facto de essas horas «a mais» poderem servir para a criação de novos postos de trabalho, mais ainda numa terra como Elorrio, que tem uma taxa de desemprego de 10%.

Para o sindicato abertzale, é óbvio que os trabalhadores e trabalhadoras fazem mais horas que as estipuladas no acordo. Da mesma forma, é óbvio que a empresa privilegia a imposição à negociação, não cumprindo as cláusulas firmadas, não atendendo às propostas avançadas pelos sindicatos e promovendo um clima de tensão desnecessário.

Os trabalhadores da Transportes NANUK afirmam que não vão aceitar qualquer tipo de chantagem, nem imposições que afrontem os seus direitos. / Ver: LAB

Três familiares de um preso sofrem grave acidente em que faleceu uma mulher

ASEH-Lisboa - AL, 09/15/2014 - 23:33
Jone Artola, txupinera das festas de Bilbo em 2013 e porta-voz da Etxerat durante vários anos, ficou gravemente ferida na sequência de um grave acidente ocorrido ontem, pelas 22h00, na AP-68, junto a Tutera, quando regressava de uma visita ao preso político basco Ugaitz Perez. Jone teve de ser hospitalizada, com três costelas partidas, o úmero partido em três partes e uma fissura no externo. Viajava com o marido e o filho, que sofreram ferimentos menos graves. Uma mulher grávida que seguia na outra viatura envolvida no sinistro perdeu a vida.

Numa nota, a Etxerat afirma que Jone Artola e a família partiram de Bilbo, na sexta-feira, com destino à prisão de Castellón II, a 590 quilómetros de Euskal Herria, onde tinham uma visita prolongada, no dia seguinte, ao preso político basco Ugaitz Perez. No regresso, já em Euskal Herria, sofreu um grave acidente. Uma viatura que seguia em sentido contrário perdeu o controlo, atravessou a divisória da auto-estrada e meteu-se na faixa em que eles seguiam. Uma mulher de 31 anos que viajava no outro veículo perdeu a vida.

O companheiro e o filho de Artola, que seguiam na parte da frente do carro, conseguiram sair pelas janelas, mas Jone Artola ficou encarcerada na viatura. Jone Artola está em observação no Hospital de Basurto, em Bilbo.

A Etxerat diz Jone e os seus familiares têm sido obrigados, pela dispersão, a fazer-se à estrada todos os fins-de-semana, como milhares de outros familiares de presos. «Há 30 anos na estrada, pondo as suas vidas em risco cada fim-de-semana», denuncia a Etxerat, que destaca ainda o facto de este ser o nono acidente provocado pela política de dispersão este ano, e também o mais grave de 2014.

Face ao ocorrido e com Jone no hospital, a Etxerat exige a todos os responsáveis políticos e institucionais uma atitude firme, concreta e rápida contra a dispersão. «É tempo de dizer basta» e de «passar das palavras aos actos», vinca a associação.

A Etxerat anunciou que irá dar uma conferência de imprensa amanhã, às 12h00, frente ao Teatro Arriaga, em Bilbo. Estarão presentes familiares de Jone Artola. / Ver: etxerat.info

Borroka Garaia: «Pintar»

ASEH-Lisboa - AL, 09/15/2014 - 23:32
La represión del hipócrita sistema en realidad no es más que la protección armada de la patronal, del capitalismo, de la opresión nacional y social, en definitiva de la injusticia. Nada más y nada menos. Los mismos que impiden la libertad de expresión, los que intentan monopolizar la información y quieren paredes mudas como en las dictaduras. (BorrokaGaraiaDa)

«Donbás, una lucha manipulada», de Amparo LASHERAS (lahaine.org)
En Ucrania se está librando una guerra con un fuerte contenido de clase y hay que situarla en la lucha del pueblo trabajador del Donbás por su independencia y, también, como una respuesta contra el fascismo que gobierna en Ucrania con el visto bueno del FMI, que ve en los dirigentes ucranianos unos aliados perfectos. «Luchamos con las armas en la mano por nuestras vidas, esta es nuestra tierra. No nos vamos a rendir», afirman los mineros de Donetsk en un trágico mensaje dirigido al los trabajadores europeos. La respuesta es clara, la solidaridad.

Apoio ao povo trabalhador do Donbass no dia do jogo Athletic-Shakhtar Donetsk

ASEH-Lisboa - AL, 09/15/2014 - 23:31
Esta quarta-feira, 17, disputa-se em Bilbo o jogo Athletic-Shakhtar Donetsk (ФК Шахтар Донецьк), pelo que diversas associações decidiram organizar uma jornada de luta antifascista e solidária com o povo do Donbass.

Os promotores da iniciativa afirmam que aproveitam a presença na capital biscainha do Shakhtar - um clube fundado em 1936 com o nome de Stakhanovets Stalino, em honra do lendário mineiro soviético Aleksei Stakhanov - para expressarem a sua solidariedade à luta que o povo trabalhador do Donbass trava contra o fascismo, e fazem um apelo à participação de todos.

O programa da jornada inclui uma feira solidária no 7Katu Gaztetxea, uma kalejira [marcha, desfile] desde a Kirruli Taberna e uma concentração antifascista junto ao San Mames Barria.

Organizam/colaboram, entre outros: Euskal Herria-Donbas elkartasun komitea, Ikasle Ekintza, Herri Norte Taldea, Basauri Antifaxista, Ahaztuak 1936-1977, Gazte Erandio Komunista, Erandioko Asanblada Antifaxista, Eraikitzen Herri Asanblada. / Mais informação: Euskal Herria-Donbas elkartasun komitea

Donbassetik ez dira pasako! No Donbass não passarão!

Gernika reivindicou a liberdade dos 28 jovens independentistas

ASEH-Lisboa - IG, 09/14/2014 - 23:34
O Centro Cultural Astra, em Gernika (Bizkaia), encheu-se, hoje, para reivindicar o fim dos julgamentos políticos, a defesa dos direitos civis e políticos e a liberdade dos 28 jovens acusados de pertencer à Segi que começam a ser julgados em Madrid dentro de uma semana (dia 22). Para esse efeito, foi apresentada uma «declaração dos cidadãos» e foram assumidos compromissos.

No acto nacional hoje realizado em Gernika para denunciar o julgamento dos 28 jovens independentistas reivindicou-se a passagem da solidariedade ao compromisso e, nesse sentido, o Eleak fez um apelo à desobediência a leis injustas; um representante dos 40 jovens independentistas absolvidos em Junho assumiu o compromisso de, entre todos, ajudarem a fazer frente às despesas associadas ao julgamento; agentes sociais, políticos e sindicais, por seu lado, comprometeram-se a continuar a trabalhar pelo fim dos julgamentos políticos. Também vão pôr em marcha uma recolha e assinaturas.

O julgamento destes jovens começa a 22 de Setembro e prolonga-se até Dezembro, na AN espanhola. Tal como se recordou, as acusações que sobre eles pendem são as mesmas que eram apontadas aos 40 que foram absolvidos em Junho deste ano.

Os jovens grevistas bilbaínos Jon Telletxea e Urtzi Martínez, condenados a 2 anos e meio de cadeia por fazerem umas pintadas na greve geral de 29 de Março de 2012, também estiveram presentes no acto de hoje, tendo recebido o apoio dos presentes. Amanhã têm de ir a tribunal e, de acordo com a informação divulgada pela plataforma Grebalariak Aske!, a partir de dia 22 têm um prazo de 10 dias para se apresentar na cadeia. A Grebalariak Aske! convocou uma manifestação para amanhã (19h00), a partir da Done Petri plaza, no bairro bilbaíno de Deustu.

Fim-de-semana laranja
Organizado pelas várias assembleias dos bairros e localidades de onde são os 28 jovens independentistas bascos, o «Asteburu laranja» teve como objectivos denunciar os julgamentos políticos, defender os direitos civis e políticos e apoiar os 28, mostrando-lhes que não estão sozinhos.

Este «fim-de-semana» teve início na sexta-feira e prolongou-se até hoje, com múltiplas e variadas iniciativas a decorrerem em localidades como Astigarraga, Bergara, Burlata, Atarrabia, Sestao, Portugalete, Santutxu (Bilbo), Txantrea (Iruñea), Errotxapea (Iruñea) e centro de Iruñea (onde se construiu um mural alusivo a Iruñerria - toda a comarca de Pamplona), Gasteiz, Donostia (onde hoje se realizou uma manifestação) e Gernika (onde decorreu o acto nacional). / Fontes: topatu.info e outras / Fotos: topatu.info

Como vê um mecânico a dispersão dos presos políticos bascos? [vídeo]

ASEH-Lisboa - IG, 09/14/2014 - 23:33
A política de dispersão começou a ser aplicada às presas e aos presos políticos bascos há já 25 anos. Contudo, há muitas situações geradas pela dispersão que se escondem no dia a dia. Neste vídeo divulgado pela Sare, um mecânico manifesta o seu ponto de vista sobre a dispersão e revela algumas dessas situações escondidas.Badira 25 urte euskal presoei dispertsioa aplikatzen hasi zitzaienetik. Sakabanaketak, baina ezkutuan geratzen diren egoera asko ditu. Bigarren bideo honetan, mekaniko batengana jo dugu, ezkutuan geratzen diren egoera horiek ezagutu nahian. / Ver: ahotsa.info

Izquierda Castellana: «El inmovilismo español no podrá frenar la voluntad democrática del Pueblo de Cataluña»

ASEH-Lisboa - IG, 09/14/2014 - 23:32
En Iz.Ca. le damos total credibilidad a esas amenazas porque conocemos muy bien el carácter antidemocrático y neofranquista del bloque dominante español. Pero esa política protofascista del bloque dominante español será respondida en la calle hasta la victoria, no sólo por el Pueblo de Cataluña sino también por todos los sectores democráticos del conjunto de Pueblos del Estado Español. Será el camino para la caída de el Régimen del 78, cada día mas enfrentado a los intereses de las mayorías sociales del conjunto de los Pueblos del Estado. (boltxe.info)

«Confieso que he vivido: Allende», de Pablo NERUDA (lahaine.org)
Reproducimos un fragmento del libro del poeta Pablo Neruda Confieso que he vivido, en su capítulo «Patria dulce y dura» donde habla de su gran amigo y compañero Allende, donde expone con su magistral encanto cómo llega aquel patriota al poder y porqué se produce el golpe y asesinato de Allende, qué significó su gobierno, cuál fue el lugar del pueblo y cuál el lugar de la antipatria, encarnada en los sectores reaccionarios y los militares golpistas.

Apoio à Palestina e apelo ao boicote a Israel nas ruas de Irun

ASEH-Lisboa - IG, 09/14/2014 - 23:31
Dezenas de pessoas participaram ontem, 13, na manifestação que percorreu as ruas de Irun (Gipuzkoa) sob o lema «Palestina askatu! Israeli boikota!» [Liberdade para a Palestina! Boicote a Israel!]. A mobilização, convocada pelo grupo de trabalho «Irun com a Palestina», teve também a adesão da mesquita local. Assim, na manifestação juntaram-se pessoas de muitas origens, unidas pela vontade de denunciar o «genocídio» do povo palestiniano e a situação que vive actualmente.

Ao longo da mobilização, que terminou na San Juan plaza, ouviram-se muitas palavras de ordem de apoio à Palestina e contra Israel. Para além de muitas bandeiras e pancartas, os manifestantes mostraram inúmeras imagens que reflectiam as consequências dos bombardeamentos recentes; e também uns quantos caixões onde cabia uma criança, com o nome das Nações Unidas inscrito.

Muito importante foi ainda - na sequência da convocatória realizada - o apelo ao boicote aos produtos de Israel, cujo número do código de barras é 729.

À noite, houve animação musical solidária com a Palestina, no gaztetxe Lakaxita. / Ver: Oarsobidasoa Hitza

Ver também: «Concentração em Donostia contra a presença do cinema israelita no Zinemaldi» [áudio, vídeo, fotos] (lahaine.org)

Andoni Goikoetxea foi agredido na cadeia de Fleury

ASEH-Lisboa - L, 09/13/2014 - 23:34
A associação Etxerat fez saber que a agressão ocorreu na segunda-feira, 8, junto à enfermaria da cadeia e que o preso basco de Gaztelu (Gipuzkoa) foi castigado com dez dias na solitária. Por outro lado, Kepa Arkauz está em luta na cadeia de Villepinte.

De acordo com a Etxerat, no corredor que vai dar à enfermaria da cadeia francesa de Fleury, costuma haver vários funcionários a quem mostrar a identificação. Contudo, na segunda-feira havia apenas um, e logo um indivíduo conhecido pela sua atitude hostil para com os presos políticos bascos - tendo, inclusive, algumas agressões no registo. Por isso, o EPPK (Colectivo de Presos Políticos Bascos) em Fleury não aprova contactos com ele.

De acordo com a nota da Etxerat, Goikoetxea passou à frente desse funcionário a caminho da enfermaria, e não parou para mostrar a identificação. Quase a chegar ao destino, apercebeu-se de que o funcionário vinha atrás dele, dizendo-lhe que regressasse ao ponto de controlo para mostrar o cartão de identificação. Goikoetxea seguiu em frente e à porta da enfermaria foi empurrado por duas vezes.

A Etxerat afirma que o funcionário se pôs à frente da porta para impedir a passagem do preso basco, e este, por sua vez, tentou forçar a entrada na enfermaria. Ambos caíram no chão e, nessa altura, dois funcionários que estavam dentro da enfermaria saíram e imobilizaram Goikoetxea. Com ele imobilizado, deram-lhe dois pontapés na cabeça e outros dois nas costas.

Goikoetxea foi levado para uma sala de espera e, depois, consultado na enfermaria. Em seguida, levaram-no para o mitard e puniram-no com dez dias na solitária.

Kepa Arkauz em luta na cadeia de Villepinte
O preso político basco natural de Arrasate (Gipuzkoa), recluso na cadeia de Villepinte, nos arredores de Paris, entrou em luta para protestar contra a situação de isolamento em que se encontra desde 6 de Junho, quando Iñaki Dominguez Atxalandabaso foi extraditado para o Estado espanhol.
Os advogados de Arkauz já propuseram, por diversas vezes, uma solução à juíza Le Vert: a transferência de outro preso basco para Villepinte ou a do preso arrasatearra para uma outra cadeia onde haja presos políticos bascos. / Ver: etxerat.info [Itzulpena gurea da. Akatsak badaude, sentitzen dugu.]

A Guarda Civil leva a cabo uma «operação de castigo» em Altsasu

ASEH-Lisboa - L, 09/13/2014 - 23:33
Várias patrulhas da Guarda Civil ocuparam ontem, 12, o centro de Altsasu, tendo entrado em diversos bares da localidade navarra para revistar e identificar a clientela. Os militares foram equipados com material anti-motim e levaram cães de quatro patas; afirmaram, contudo, que se tratava de uma «inspecção civil de rotina». A operação ocorre duas semanas depois do Ospa Eguna.

Nas palavras da Guarda Civil, o que ontem se passou em Altsasu foi uma «inspecção civil de rotina»: vários furgões e jipes, dezenas de agentes apetrechados com material anti-motim, cães, revistas a bares no centro da localidade, identificações dos clientes e de pessoas que assistiam a tal... «rotina». Isto ocorreu por volta das 17h00.

O Hitzondo, via Twitter, deu o alerta para a existência de um grande dispositivo da Guarda Civil em Altsasu e, depois, foi dando informações sobre o que se estava a passar na localidade do Vale de Sakana.

Durante quase uma hora, os militares entraram em bares, identificaram e revistaram quem estava lá dentro, e ocuparam a praça e as ruas adjacentes, onde procederam à identificação de quem presenciava estes acontecimentos - que têm lugar poucas horas antes do início das festas (as txosnas [barracas] estavam a ser montadas) e quinze dias depois da realização do Ospa Eguna. Nas redes sociais, não foram poucos os que estabeleceram uma relação entre estes factos. / Ver: ahotsa.info

Borroka Garaia: «La vía vasca se hace al andar ¿Por qué estamos parados?»

ASEH-Lisboa - L, 09/13/2014 - 23:32
Cómo romper este bucle va a ser fundamental de cara a los próximos tiempos si verdaderamente queremos iniciar un proceso donde en primera instancia se lleve a cabo el ejercicio de la autodeterminación, y en segunda instancia se proclame la independencia y que ademá los intereses de la clase trabajadora salgan reforzados de cara al socialismo. (BorrokaGaraiaDa) [em português: Diário Liberdade]

«Alucinações bélicas», de Jorge CADIMA (odiario.info)
«O Estado-Maior da guerra imperialista, a NATO, realizou uma Cimeira há poucos dias. O extenso comunicado final da Cimeira é alucinante. O ataque à Rússia foi o tema forte nesta Cimeira do Delírio. Mais uma vez, a guerra e a mentira andam de mãos dadas, ao serviço do imperialismo.»

«De crisis y estafas (o cómo más bien la estafa acecha en las puertas de salida)», de Red Roja (boltxe.info)
Decía Lenin que para los cambios revolucionarios no basta con que los de abajo no aguanten más, sino que los de arriba ya no puedan dominar como hasta entonces. Nos hemos atrevido a añadir: «y cuando los de abajo se dan cuenta de esas debilidades».

Orriak

Subscribe to Askapena agregatzailea - EH Lagunak (pt)